domingo, 26 de agosto de 2012

Aliança Colorida


Adaptação pessoal da modernice “amizade colorida”, vulgarmente descrita como um relacionamento que nem é carne nem é peixe, não sendo compromisso nem amizade, reconhece a cada uma das partes um estatuto para além do meramente aventureiro, assumindo-se quer a possibilidade de subir ao próximo nível, quer a possibilidade de resvalar. 

Oficiosa mas não oficial, segredo mas só na parte do colorido.

Quando esta semana li na imprensa sobre o jantar de Luís Filipe Vieira (LFV) e José Eduardo Moniz (JEM), o qual foi descrito como "secreto", foi o primeiro conceito que me veio à cabeça mas como “aliança” colorida: além de não existir qualquer amizade entre ambos, também não existem opositores - como deveriam existir - para que o conceito de “aliança” puro e simples se possa aplicar, daí a adaptação com uma mistura de ambos.


Este "secreto" jantar não terá sido, nem sob o pretexto para um argumento cinematográgico de Oliver Stone ou Quentin Tarantino, para LFV levar a que JEM pagasse os 31 anos de quotas em atraso com vista a equilibrar as contas do Clube, nem para que JEM quisesse umas lições de como vir a ser "um bom" exemplo no que que respeita à Sua conduta dadas pelo Seu interlocutor.


O secretismo das reais intenções e respectivas conclusões deste encontro ainda está por desvendar, não havendo dúvidas que nas próximas semanas uma real bufadela - como a do jantar - se encarregue de o fazer pela mesma via.


 Até lá, a capacidade argumentativa de cada um vai realizando o "filme" que lhe aprouver.
E eu não sou excepção.

No dia 22 de Maio do corrente, JEM no descontraído ambiente do programa "5 para a meia noite", deu a saber em tom não menos descontraído, ao público em geral e aos Benfiquistas em particular o seguinte, e passo a citar: 


"se eu puder contribuir para ajudar esta Direcção ou outra que para lá vá a fazer o Benfica regressar àquilo que foi, podem contar comigo."

LFV veio a revelar-se um espectador atento do "5 para a meia noite".
 Como anda em maré de jantares, aproveitou o "andamento" e tratou de encontrar, em tempo útil, entre visitas a Casas do Benfica, viagens a Dusseldorf e eventualmente algumas inaugurações imobiliárias, uma brecha na Sua tão preenchida agenda para, “secretamente”, marcar o jantar que o Record tão eficazmente posteriormente anunciou, e aferir da tão gentil disponibilidade manifestada pelo seu ex potencial opositor  das últimas eleições , no principal e ainda canal público de TV.

Moniz, como malfadadamente sabemos, à luz dos actuais estatutos, não pode ser oposição directa, caso contrário não teria certamente recebido tão agraciado convite.

Mas Moniz pode ser oposição de forma indirecta: ou através do seu enquadramento numa lista de um hipotético candidato ou do seu apoio a uma potencial lista. E as oposições indirectas dignas desse nome, está visto, recebem convites para jantar.


Seria um sinal extremo de agrado meu se este convite passasse por tentar anular qualquer uma destas possibilidades.. Significava que o Presidente em funções saberia (e quiçá recearia) de antemão de uma candidatura que muitos anseiam que surja, tendo agido providencialmente sob alguém cuja importância sabe e reconhece que tem no mundo Benfiquista (é que eu continuo crente....). 


Preocupar-se em que não haja pontas soltas é um claro sinal de reforço de posição, numa perspectiva meramente eleitoral.

Na questão curricular, o único problema que JEM terá ou teria para pôr a folha a brilhar, será escolher o cheque para regularizar o atraso de 31 anos de pagamento das suas quotas.. No Benfica acrescente-se. Comparado com os currículos que a maioria dos Benfiquistas já assimilaram desde 2003, nem é tema.

Uma potencial integração de JEM na Estrutura da SAD e/ou Clube implicaria um compromisso substancialmente maior do que um "mero" apoio eleitoral. Neste, acredito que se "resumisse" a questões preferenciais no negócio ao nível dos direitos televisivos, enquanto o primeiro, de "casamento", e no qual estou convencida que se enquadra a movimentação noticiada, envolveria não apenas esta questão mas outras bem mais profundas e muito mais complexas:

- âmbito de competências nas áreas desportiva e/ou financeira;
- definição de poderes de decisão e graus de autonomia para tal;
- coexistência com o batalhão de directores que dirigem os mais variados departamentos no      Clube;
- estratégias futuras: desportivas, financeiras e pessoais (não é descabido que Moniz aspire chegar à Presidência por um atalho).

JEM não se comprometerá sem saber a real situação financeira do Clube. Não se comprometerá sem ver mais do que possíveis exigências aceites.


LFV não aceitará comprometer-se às exigências de Moniz se forem condicionantes ou limitativas de alguma forma à Sua actuação.

Atendendo a ambas as personalidades, o risco deste "casamento" acabar em divórcio é significativo. Nenhum vive à sombra de ninguém. Nem admitirá fazê-lo.

Considerando a muito, mesmo muito custo, que as próximas eleições não vão trazer ventos de mudança, pelo menos uma lufada de Benfiquismo e de competência na multicolor Estrutura directiva do Benfica, sob a figura de JEM não me desagradaria. De todo. O menos mau dos cenários considerando que não temos mais protagonistas. 


Era sinónimo de que alguém, com pulso e uma forte postura, tinha aceite percorrer um caminho que, com todas as dificuldades, poderia ser percorrido com sucesso.

Vieira não joga para perder no que à sua esfera diz respeito. Mas
 a questão dos direitos televisivos tem que ser resolvida e a influência que Moniz poderá exercer neste tema poderá ser um trunfo demasiado importante para não o ter na mão. Estará com toda a certeza a tentar que este aceite o tal compromisso, de forma a facilitar o envolvimento da Ongoing. A dificuldade será, sem dúvida, negociar as potenciais exigências que Moniz não deixará de colocar em cima da mesa onde está o mais importante, sempre e mais uma vez: o futuro e os destinos do Benfica.

10 comentários:

Anónimo disse...

O verbo haver não tem plural, pelo que "não hajam pontas" é um erro de palmatória. Tanto discernimento em análise e não saber português...

Hugo Pereira disse...

hehehe, tu e os outros pseudo-benfiquistas q andam há 3 anos em campanha para as presidenciais já começam a ver o chão fugir debaixo dos pés, não é? Não me digas q estavas a pensar no Moniz para se candidatar e agora com este jantar sentiste um aperto no estômago?!? Tu e outros benfiQUISTOS em 3 anos não arranjaram ninguém?? Andaram distraidos a vomitar ódio pela blogosfera fora e esqueceram-se do mais importante?? Eu imagino essa cornadura em Outubro, hahahaha

Ricardo disse...

Anónimo, obrigado pela correcta observação sobre o texto. Já que te disponibilizaste a abrir a caixa de comentários, escrever um pequeno reparo sobre uma palavra de um texto longo e a enviares os teus recados sobre correcção de Português, será que também tens ideias que possas aprofundar sobre o texto que a Marta escreveu? Ou era mesmo só isso? A tua existência passa por apontar erros aos outros sem que saibas mais do que isso? Elucida-nos, anónimo. Debate o texto, se conseguires.

Hugo Pereira, a ver se compreendo: a Marta está há menos de uma semana no blogue mas também faz parte dos que estão "há 3 anos em campanha para as presidenciais"? Eu acho que o meu cão também anda loucamente em campanha eleitoral há 3 anos. Ele e todo o Bairro de Alfama.

Pessoal que quer discutir o texto da Marta: apareçam. É que pelo exemplo destas duas primeiras cavalgaduras não vamos longe.

Luis Rosario disse...

Faz-me espécie este pessoal que atribui textos a outros bloggers. Será que chegam a ler ou pensar sobre o que se escreve? Ou é mesmo só para gastar tempo aos bloggers e quem lê?

Esta aproximação na minha perspectiva é única e exclusivamente associada à questão dos dir televisivos. Penso que estas duas figuras em circunstância alguma coexistirão na mesma estrutura directiva.

Gostei do texto Marta, parabéns.

moleculasdeamor disse...

Marta as hipóteses que colocas são todas razoáveis... eu já o escrevi detesto unanimismos, acho mesmo perigosos... evocas a possibilidade do Moniz entrar para encontramos uma boa solução para os direitos televisivos... sinceramente não acredito... no meu entender é mais a estratégia do Eucalipto... a minha sensibilidade diz-me que LFV pode gostar do Benfica e de vencer mas quer perpetuar-se porque ser Presidente do Benfica abre-lhe imensas portas para negócios pessoais, amizades que vai solidificando (aliás ele não as esconde de ninguém) e depois o clube fica para segundo plano...
Portanto este jantar é um jantar estratégico - a nível pessoal!

Lamento profundamente a ausência de alternativas... lamento ainda que a consciência criadora que existe entre nós não se concretize numa jantarada que termine numa olímpica bubadeira...

B Cool disse...

Marta, gossto bastante dos teus textos e dos comentários pois revelam uma perspicácia muito superior à maioria dos comentadores.

Quanto ao que escreves, penso que o Luis Rosário terá razão, penso que se trata da discussão de alternativas aos direitos de transmissão.

Pessoalmente e tendo em conta o que foi dito de ambas as partes há 3 anos, faz-me alguma espécie que as personalidades possam coexistir numa lista. No entanto, a disponibilidade anteriormente demonstrada por JEM pode indicar que afinal o Pimenta Machado é que tem razão, no futebol o que hoje é mentira amanhã é verdade.

Se é uma abertura de Vieira aos críticos, pessoalmente acho que faz bem. Se é só a negociação dos direitos então nada a opor, aliás o encontro dito de "secreto" é uma manobra inteligente e bem conseguida do LFVieira em qualquer dos casos.

Subscrevo a posição do Moléculas, os unanimismos fazem-me espécie e gostava que aparecesse alguma alternativa com ideias credíveis, com um projecto credível e com benfiquismo.

O estado do associativismo dos clubes vê-se na altura das eleições e não considero que o clube esteja assim tão bem para que não possam surgir alternativas crdíveis, assim os associados com mais de 43 anos e 25 de Benfica estejam disponíveis para tal.

Infelizmente faleceu o sócio número 1 do Benfica e espero que hoje a equipa surja em campo com o fumo negro e lhe possa dedicar a vitória.

Germano Bettencourt disse...

Não sei qual o objectivo do encontro, se apenas no plano dos direitos desportivos, ou se algo mais. Apenas sei que na Era Vieira já nada me surpreende. Aqueles que eram "inimigos" ontem são os "amigos" de hoje e vice-versa.

O texto abrange várias possibilidades, e algumas delas não me desagradam de todo. No entanto a possibilidade que mais me agradaria, é exactamente aquela que não poderá ser colocada por força dos estatutos.

Gostaria mesmo muito de ver uma alternativa sólida, com um projecto e ideias para este meu Benfica, mas a verdade é que não vislumbro que isso vá acontecer. Ai como era bom que acontecesse. E independentemente dos resultados, já seria uma vitória do Benfica. Uma vitória da democracia no Benfica (aso acontecesse sem incidentes).

Obrigado pelo texto.

Bicadas disse...

Muito gostaria de saber o que foi tratado. Não sabendo, apenas se pode especular, ou antes, aquilo que eu desejava: um aumento de capital da SAD, com a entrada de um parceiro estratégico para o desenvolvimento do negócio de televisão. Há, no entanto, um obstáculo a considerar, a questão do controlo acionista, que a esmagadora maioria dos Benfiquistas (onde de certa forma me incluo) jamais aceitarão que caia abaixo dos 50%. Porém, existem formas, designadamente através de um acordo parassocial mais ou menos complexo, de contornar este obstáculo.

Tenho reservas quanto ao Benfiquismo de JEM, não que duvide de que seja Benfiquista e que tenha paixão pelo clube, é antes uma questão de personalidade. Não obstante, acredito que este seria um desafio em que encontraria motivação e para o qual dispõe de todos os recursos, a nível pessoal, necessários.

Já aqui publiquei a minha opinião acerca dos direitos de transmissão. Penso que a exploração própria não é a solução óptima, mas pode ser que se consiga uma alternativa que produza uma boa solução. Aguardemos.

Cumprimentos

Conde de Vimioso disse...


Se a questão eram os direitos desportivos o que é que fazia lá o varandas, um dos opositores nas ultimas eleições e um tal Damâso????

Quanto ao ""secreto"" faz-me lembrar as nossas figuras do jetoito a telefonar aos paparazi antes de irem tomar um banho a Cascais.

É para isto e para manter tentar manter imaculada e bem branqueada a imagem do Vieira que serve o Gabriel (((pago ao nível dos melhores jogadores do plantel))) mais a agência de comunicação.

Quanto á coabitação para esta gente não há engulhos e é só ver como os dois andaram a apunhalar o Benfica durante muitos anos. Um na RTP ((nem é bom lembrar)) e até na TVI e o grande líder durante os tempos que sugou hostilisando ao mesmo tempo o Benfica nos seus tempos do Alverca.

Bom post Marta

Marta Mesquita disse...

Tem toda a razão "Anónimo", é um erro e de palmatória. Peço desculpa a todos os leitores por ele. Não vou justificar-me, é um erro, ponto.

Agradeço-lhe o "discernimento" que atribui à minha análise. Infelizmente não poderei dizer o mesmo quanto à Sua capacidade de julgamento dos meus conhecimentos de Português nem da Sua capacidade argumentativa, em particular do tema em questão.
Talvez no próximo, se não detectar nenhum erro ortográfico que o consterne e o impeça de dar a Sua opinião.


Hugo, olhando para o seu comentário, quem parece andar distraído, no mínimo, é o Hugo.
Cheguei a considerar que não tivesse lido o texto sequer mas, dado o "brilhantismo" da Sua resposta e dos seus "argumentos", constato que lêr até o deve ter lido, percebido é que parece ter sido mais complicado..