segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Moinhos de vento

Fraca assistencia numa noite de chuva, numa casa onde o Benfica, à semelhança de outras casas, sempre arrastou tanta gente.. E nunca a chuva foi impedimento para tal. A crise explica muita coisa, mas não explica tudo. Ainda assim, maioritariamente, os adeptos Benfiquistas, não deixaram de se fazer sentir no apoio à Equipa.

Aos 2,5m Takuara remata à trave. A trave que silencia as gargantas que já gritavam golo, que no minuto a seguir é substituida pelo poste numa entrada de Rodrigo, a dar continuidade a uma arrancada "à la Salvio!"

Tudo isto com 10m de jogo.
O Benfica não podia demonstrar de forma mais clara o seu cartão de visita. Rápido e olhos postos na baliza.
Mas a meio da 1 parte a história do jogo foi mudando, o cartão de visita foi perdendo fulgor e Artur conta a primeira defesa a um remate saído de uma jogada em claríssimo fora de jogo que o arbitro assistente não assinala.

E contra a maré do jogo, Artur vê as suas redes violadas na marcação de um penalty a favor da Equipa que até à altura só 1 remate tinha feito.
A falta de Maxi é clara, entra com tudo nas costas do adversario.. a duvida que me assalta é onde é que a falta ocorre, mas não vi uma única imagem que me retirasse esta duvida, ainda que me tenha parecido fora da área.
Duvida foi algo que não tive enquanto pensava na injustiça da velha máxima do futebol do "quem não marca arrisca-se a sofrer" que queimava os coracoes vermelhos como um ferro em brasa..

O intervalo chega com o Benfica a jogar ao ataque, mas de forma mais lenta do que aquela com que o fez no 1 quarto de hora, e a Briosa em contra ataque, fazendo parecer incrível como é que já podendo estar a ganhar no mínimo por 2-0 ao primeiro quarto de hora, perdíamos por 1-0 ao intervalo. 2 bolas aos ferros e 2 defesas do GR a um remate e a um cabeceamento de Cardozo.

Fomos progressivamente perdendo fulgor, sobretudo no meio campo. Comecei a ver displicência quando deveria ter sido ao contrario. Brilho nunca por aquele campo hoje passou.
Ia-me perguntando por Pablito..

A segunda parte começa com o mesmo lance que desvirtuava a historia do jogo ao intervalo: um penalty, mas agora a nosso favor. sem qualquer margem para duvida: mão do jogador da Académica, que dita a sua inevitável expulsao, já que o remate do acabado de entrar Nolito ía direitinho à baliza.
Takuara consegue finalmente fazer o que antes não tinha conseguido. Marca o 1 do Benfica e começa a repor a justiça no marcador.

A jogar contra 10, Nolito de um lado e Salvio do outro, começaram a dar alguma vivacidade aos flancos.
Antes do meio da 2 parte, finalmente... Pablito! JJ já tinha solucionado parte da lentidão da Equipa retirando Bruno César e finalmente decide solucionar a falta de criatividade com a troca de Enzo pelo Mago.

Começava a acalmar os meus nervos quando a carga de agua em Coimbra me caía em cheio pela cabeca abaixo em Cabo Verde.. Se o 1 penalty me deixou duvidas, este não me deixou nenhuma. Garay corta 1 a bola e só depois toca na perna do jogador da Académica. Marcador desvirtuado de novo e os meus nervos mais do que desvirtuados também.
Sempre considerei que jogar contra 10 era muito mais difícil, em desvantagem então..
15m para o fim e Rodrigo dá lugar a Lima. O coração continuava a bater-me na boca, tão apertado tinha o peito. E saltou mesmo com a bomba deste mesmo jogador que faz o 2-2!

Se o Cardozo tivesse feito o mesmo nas oportunidades que teve, evitaria por hoje, de comentar o que se segue, mas não fez. E é apenas um exemplo já que a falta de brilho e criatividade no relvado foram uma constante hoje. Salvaram-se 10 minutos o que, em 90, é muito, tremendamente pouco.

Xistra é um incontornável incompetente, mas não é o único. Hoje vai servir a muitos para justificar este empate, mas sao tantas e tantas as justificações que vão tão para além da incompetência deste sr.. Que permanecerão.

É frustrante, no mínimo.
Só se pode rezar por mais. Pedir ou exigir perante tudo a que se assiste, e com a continuidade da anuência a tudo isso, é como D. Quixote a lutar contra os moinhos de vento.
 
Marta Mesquita

4 comentários:

Minha Chama disse...

Marta, tudo serve para tudo.

moleculasdeamor disse...

Marta tivemos prái uma 8 oportunidades de golo... acho que o JJ, sem Luisão, Javi e Witsel conseguiu manter o Benfica a jogar à bola... hoje JJ esteve bem... fomos xistrados... falhar golos é da vida... mas marcar penaltys sem o serem é vida redesenhada... perdemos 2 pontos porque xistra assim o quis!

Nuno Pinho disse...

Tenho dúvidas em afirmar que o Xistra é incompetente. O Proença também é incompetente na Liga, mas nos jogos internacionais não falha uma.
Ontem a equipa fez mais do que o suficiente para ganhar o jogo, mas já se sabe que para alguns benfiquistas a Académica justificou o empate. O habitual.

João.D10S disse...

Cara Marta, quem é tão incompetente no seu trabalho - não, não é os xistra, que esse é muito competente - não tem grande moral para se queixar de outros. Aliás, ter até tem, mas como nunca assumimos culpas próprias, iremos continuar a insistir nos mesmos e não daremos a volta por cima.

O principal problema é a falta de firmeza psicológica da equipa, a fragilidade emocional. Os jogadores têm 'paragens cerebrais', cometem erros absurdos, como faltas desnecessárias e aberrantes - Maxi, que muito admiro, é repeteeeeeeente - e depois, temos um treinador que é uma besta, e que é capaz das maiores alarvidades tácticas, e que nunca aprende com aquilo que de mal fez anteriormente.. enfim.. tiram-me anos de vida..

http://benficacomamor.blogspot.pt/