sábado, 8 de setembro de 2012

Obrigado, Kiko.

Pela primeira vez na História do Ténis um português inscreve o seu nome na lista de vencedores de um dos torneios do Grand Slam - neste caso, o US Open. O seu nome é Frederico Silva e acabou de ganhar, em pares, o troféu na categoria de juniores.
Um feito notável que podia e devia ter uma repercussão na imprensa digna de registo. Mas não. Importa mais fazer capas a explorar a "tristeza" de Ronaldo.

 Quanto ao jogador, espera-se que continue a sua evolução. Sem pressas nem pressões escusadas que geralmente atiram os atletas para o esquecimento. Tem 17 anos, é muito novo. Que se mantenha no seu escalão e vá, a espaços, fazendo alguns torneios nos circuitos profissionais. 

Sonho com o dia em que possamos ver um português no top-10. Podes ser tu, Kiko. Parabéns.

4 comentários:

Conversa Fiada disse...

Absolutamente de acordo Ricardo, um feito único de um jovem valor do nosso ténis e o único canal que vi a dar a notícia foi precisamente o Eurosport onde estavam a transmitir as meias-finais masculinas. É estranho que tenha de ser na versão portuguesa de um canal de desporto estrangeiro que noticiem este feito notável do Frederico e seu par.
Só demonstra que apesar de termos "n" canais de notícias e "n" sites de desporto o que realmente interessa são notícias da tanga, porque as importantes essas são quase que esquecidas.

moleculasdeamor disse...

Gosto de ténis... quanto à tristeza do Ronaldo... são os mé(r)dia que alimentam estas... mas porquê? Porque o zézito gosta!

GM disse...

Fabuloso, mas faltam-lhe centímetros para se tornar um top 10 no circuito ATP e como David Ferrer só há um...de qq das formas já seria um feito se construisse uma carreira regular no top-50.

Parabéns ao Silva.


Hattori Hanzo disse...

É um grande feito. Ele em juniores está no Top 10 Mundial e ainda tem mais um ano a cumprir. O Kiko parece ter muito potencial... agora esperemos é antes do mais ser bem acompanhado: do Gastão e da Michelle também se esperava muito e acabaram por não cumprir... e uma das razões pareceu-me ser o mau acompanhamento.