quarta-feira, 26 de junho de 2013

Finalmente a verdade - O Ontem é o braço armado de Bruno Carvalho



Quando há quase 4 anos atrás viajámos nessa épica aventura de avião com Bruno Carvalho e sua comitiva estávamos longe de adivinhar que um dia seríamos desmascarados. Infelizmente para todos nós, há Tomás Pizarro. E, sendo assim, admitindo que a inteligência e notável poder de dedução que Pizarro possui não podem mais ser escamoteados, resta-nos admitir finalmente ao que viemos: queremos Bruno Carvalho no poder. 

 Sim, todos os que falaram em "agenda" e "interesses escondidos" por parte de quem aqui escreve tinham razão: a nossa sanha de há 3 anos a esta parte tem um objectivo claro, o de retirar Vieira do poleiro e lá colocar o homem que verdadeiramente defende os interesses do Benfica, um homem do norte, um homem capaz de fretar aviões e benfiquismo em dois minutos: Bruno Carvalho, o nosso mais-que-tudo. 

 Foi no avião da TAP que se decidiu a estratégia: aproveitar este blogue para uma crítica supostamente independente, criar barulho, gerar unanimidade entre aqueles que estão descontentes com o rumo que o Benfica tomou e atacar vergonhosamente a Direcção deste clube. Com mágoa o confesso: desprezei os interesses superiores do Benfica em troca de uma posição privilegiada na futura administração: serei Vice para a blogosfera e Director do jornal do Benfica. O Sérgio será o responsável pela Benfica Estádio e Vice para o Património e o Roger Director-Desportivo e Vice para as modalidades. Já JC - a vitória no concurso não foi por acaso; houve corrupção -, está a ser preparado para o pelouro de Presidente das Casas do Benfica, com especial incidência nos Açores, onde vive e onde tem distribuído panfletos muito bem redigidos (com bonecos) sobre a excelência das ideias de Carvalho. 

 Não há muito mais que possa dizer neste momento. Uma mente mais observadora, como Pizarro, tê-lo-ia entendido logo nos primeiros tempos, quando aqui veementemente criticámos a antecipação das eleições com um argumento que roçou o ridículo. Apontámos na altura que era um acto vergonhoso que manchava de forma indelével a História do Benfica. Podemos hoje rir e até mesmo sorrir ironicamente uns para os outros: que argumento tão absurdo. Ninguém percebeu logo, pela fraca argumentação, que podia haver mais por debaixo do que aqui se escrevia? Foi necessário Tomás Pizarro para definitivamente o entenderem? 

 Não me orgulho destes 4 anos. Não posso viver bem com a minha consciência pensando que durante este tempo fui escrevendo sob as ordens de Bruno Carvalho - eu escrevia, enviava-lhe os textos, ele lia-os, riscava o que não gostava, dava sugestões, enviava-mas por avião, eu recebia-as, chorava um pouco (era a culpa a falar mais alto, já nessa altura) e depois publicava; sempre, acreditem, com um pouco de mágoa e até remorso. E até ressentimento. E até culpa. Quase vergonha. Até vergonha. Quase nojo. 

 Não me orgulho mas vou em frente. Aqui chegados, é impossível voltar para trás. Aproveitarei este momento em que fui desmascarado para promover aquela que tem sido a minha ideia ao longo deste tempo: está na altura de lançar a campanha por Bruno Carvalho. 

 Em termos oficiais, fá-lo-emos em cima de uma charrete na antiga estrada de Sintra - Bruno Carvalho será içado por uma grua ao nível da cabeça dos animais e ali se prostrará em pose melancólica e sobrenatural. Dois pajens abanarão grandes leques com o símbolo do Benfica enquanto Bruno gritará de megafone na mão as novas ideias de um novo Benfica para o mundo. Contamos convosco para uma grande manifestação de benfiquismo, um pouco à imagem das festivas comemorações no ciclismo. Pintaremos a cal no alcatrão palavras de ordem, ordenaremos a meninas muito educadas que mantenham castiças bancas de limonada e bolinhos ao longo da via, cantaremos o hino do Benfica a plenos pulmões em cima de mulas e elefantes vindos directamente dos áridos de África, a convite especialíssimo do nosso líder. O Benfica nunca mais será o mesmo. 

 Nos termos oficiosos que nos mandaram executar, anuncio então que a campanha está lançada. Agradeço aos que, ainda assim, aceitarem a nossa ideologia e a agenda que temos para o clube, que nos enviem currículo e fotografia actualizada. Para além de contributo generoso (o que puderem dar, claro) para que o Benfica definitivamente atinja o patamar da excelência.

18 comentários:

dlmd07 disse...

entao e nao se arranja ai um tacho desses para mim tambem ??? acabo de fazer parte do grupo de amigos do facebook de bruno carvalho e defendo algumas das ideias do mmo sobretudo a alteracao dos estatutos...... ahhh e sei servir a mesa !!!

O Bandido disse...

O Venezuelano do departamento de comunicação que venha aqui ler como é que se faz! Um abraço ao "Bizarro" que anda á procura de tacho no reino do Vieira.

Anónimo disse...

Já começam com a campanha eleitoral? lol! Devem ter o pito aos saltos!

Quem defende um testa de ferro dos interesses dos "senhores do norte" (mafiosos) não pode ser benfiquista.

O sr. 2% nunca terá qualquer chance! Garanto-vos!


Benfiquista Atento disse...

Um riso alarve não é sinal de inconsciência - é pura filhadaputice.

Águia Preocupada disse...

Oh! Ricardo! Estás a concorrer com o finório peidoso do norte, mas tu ganhas o concurso... Isso sim, é fina ironia!
Deix'ós poisar e continuar a dormir! Quando acordarem já via ser tarde...

Fehér 29 disse...

E não há nada para a Marta?!

Machistas...

zigofrigo disse...

E não é que eu sempre desconfiei disso! Finalmente tenho a certeza! Também não era difícil. Mas confesso que julguei tratar-se de gente que raramente tem dúvidas e que nunca se engana, possuidores de uma clarividência universal e intangível. Daqueles que nunca questionam o rumo das suas escolhas porque sabem acertar sempre. Caminham por certezas insondáveis aos outros. São os escolhidos!

Afinal são humanos como os que votaram Vieira. Afinal vendem-se como os que votam Vieira. Só que estes vendem-se pelo certo e como humanos que são tremem só de imaginar o que poderá vir a seguir a ele! Eles não, não querem saber da sua paixão ao Benfica, querem só um tacho!

Agora compreendo toda a critica, todo o mal-estar para com Vieira e os seus seguidores. Não se tratava afinal de uma escolha, como eu pensava, simples e natural de quem achava que o Benfica não era cuidado como devia.

É certo que para os currículos não tereis mão a medir, já quanto aos contributos, tudo dependerá dos cargos e lugares oferecidos. Por mim nada vos posso oferecer porque sou dos que tremem ao ver as opções que os anti-Vieira oferecem...

Anónimo disse...

és um filho da puta e medroso...´quando me insultaste dei o meu numero de sócio ...nem respondeste palhaço. 15634

M.Silva disse...

"Já começam com a campanha eleitoral" :D

Epah, isto é impagável.
Só podia mesmo ser anónimo.

JNF disse...

"eu escrevia, enviava-lhe os textos, ele lia-os, riscava o que não gostava, dava sugestões, enviava-mas por avião"

"enviava-mas por avião".

Simplesmente épico.

Pedro disse...

Muito bom.
E os comentários...na mouche!!!
hahahaha

Vagner disse...

mas é possivel fazer-se parte da direcçao do slb e ser benfiquista?

Kiddo! disse...

Quando mandares alguma coisa compra-nos um defesa esquerdo....
Obrigado!

Francisco Cunha disse...

Troca de links: http://golodeplaca.blogspot.pt/?
Já vos adicionei à nossa lista.

Aguardando resposta,
Bom trabalho.

Bruno Marques disse...

"Morri" quando li comentários que não perceberam que o texto não passava de "fina ironia"...

Explica o nível de inteligência de grande parte dos 83%...

Anónimo disse...

Há 4 anos atrás? Não, pá. Escreve-se só "há 4 anos". Já é atrás.

zigofrigo disse...

Só de pensar que alguns não perceberam que o meu comentário era, não fina, mas também ironia, deixa-me aterrado...

E depois são os 83% os burros!

Conde de Vimioso disse...

Um texto destes merecia da parte de alguns comentários mais elevados.

Depois realçar a arrogância com que alguns corrigem uns pequenos atentados à gramática e se até concordo com a correcção um pouco de humildade também não fica mal, mais a mais, quando se denota que os corretores ficam a milhas no dominio da lingua de que até Pessoa se dizia assassino.

Belo texto.