segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A Champions das Ideias



Confesso que enlouqueci. E confesso que vocês enlouqueceram. Vocês, leitores; vocês, que adoram ou odeiam vir aqui ler o que se escreve. E, no meio, quem definitivamente não enlouqueceu, foram aqueles que precisamente por não virem aqui por amor nem por ódio souberam manter a lucidez necessária. São poucos, quase nenhuns. Eu não sou um deles.

Há dois dias – ou ontem? – dei um giro pelas últimas semanas de textos deste blogue e depois fui ler o primeiro ano de vida deste espaço. Que diferença! Onde terá sido que uma decisão horrorosa – mantenho o “horrorosa” porque me magoou muito, enquanto benfiquista -, a antecipação de eleições, transformou a minha paixão pela escrita do benfiquismo num lugar que desaguou nas últimas semanas numa autêntica loucura de indignas discussões sobre o Benfica? Foi seguramente um trilho crescente, que se foi apoderando dos meus textos enquanto lia opiniões que estranhava e não compreendia; enquanto assistia a mudanças – de todos os tipos, mas sobretudo morais – na estruturas genéticas do nosso clube. 

Noto que sempre consegui tirar tempo para derivar para o que realmente me fez abrir este blogue – a escrita da memória e sangue benfiquistas em mim -, mas noto também que, insano, fui abdicando do prazer para enveredar por uma espécie de luta absurda que, tendo sentido na honestidade com que a cumpria, não tinha qualquer fundamento nem na forma nem na necessária presença de espírito que deve reger um texto que aborda não um qualquer tema quotidiano mas o mais importante dos assuntos, divinos ou humanos: o Benfica.

Enlouqueci, confesso que enlouqueci. E confesso que vocês também enlouqueceram. Fomos todos (quase todos) transportados para uma placa giratória de insultos, ofensas, provocações, baixezas, indignas afirmações e imbecis assertividades. Afinal, que merda de benfiquismo é o nosso, que nem sequer respeita a opinião contrária? Um lugar de egos e benficómetros, medições e analíticas suposições? O Benfica - o que eu idealizo ou o que vocês idealizam (que nunca será o mesmo, porque nenhum Benfica é o mesmo, depende de tantos factores e experiências, conhecimentos, emoções, dependências afectivas) – merece mais, muito mais. Merece ser regado com inteligência e massa crítica mas também com carinho e solidariedade. Concordemos ou discordemos, mas façamo-nos todos um grande favor: amemo-lo na sua grandeza e nas suas falhas. 

As eleições acabaram, ganhou um dos concorrentes. Eu não gosto do concorrente, outros gostam mais ou menos do concorrente e há quem adore o concorrente. De uma coisa tenho a certeza: todos gostam do Benfica. Tendo memória curta ou memória distante; analisando sob o prisma desportivo ou sob o prisma financeiro; tendo medo do passado ou projectando o futuro; suspeitando mais dos árbitros ou suspeitando menos dos árbitros; vendo no vermelho um branco claro ou claramente vislumbrando no branco um encarnado radiante. Todos - sem excepção - escrevem, pensam, comentam, reflectem, dissertam, sentem, querem, sonham um Benfica melhor. E ninguém, no fundo, sabe exactamente como consegui-lo. Temos, cada um, uma ideia; supomos que se fizéssemos assim é que era; quase asseguramos que se formos por aquele caminho vamos vencer; às vezes duvidamos; depois cremos. Queremos muito. Queremos tudo. Por uma razão simples: queremos aconchegar o Benfica no colo e senti-lo tão nosso quanto o imaginámos. Neste processo de intenções e sonhos, vamos em frente. Mas saibamos também olhar o outro que vai ao nosso lado. Passemos-lhe o clube para as mãos, deixemo-lo também brincar e dar afectos, sorrir com o Benfica nos braços.

Estou cansado da blogosfera. Mas não só da blogosfera. Estou cansado da forma como o Benfica está a ser vivido. De um lado, petardos; do outro, um Presidente que manda os adeptos para o caralho. É pouco Benfica, compreendem? Estes são os extremos, precisamos de mais cadeiras no meio. Pessoas que encontrem lugares de comunhão entre duas ideias contrárias. Serão essas que levarão o clube a patamares de exigência que hoje manifestamente não tem. E serão também essas que afastarão do Benfica a oposição bélica. No fundo, no fundo, precisamos de gente boa, inteligente, sábia (sábia de sentir, não só de conhecimento), honesta, credível, ambiciosa, benfiquista. O clube merece mais de nós.
 
De modo que proponho um jogo. Não um jogo apenas lúdico mas voltado para a construção comum de um Benfica maior e melhor. Na vez de facções em lados estanques da barricada, proponho um quebrar de muros e um encontro de sentidos. A princípio talvez fragilizado pelas guerras recentes, mas que vá alargando a sua energia desde o ponto titubeante do recomeço ao encontro completo de almas. Lembro-me de uma foto de dois amantes de mão dada - ela na Alemanha de Leste, ele do outro lado. As mãos uniam-se por uma fresta construída no desgaste dos anos e dos sonhos. Tanta gente sonhou que o muro desabasse que ele próprio foi cedendo, devagar, aos braços em prantos de um lado e de outro, aos gritos que uns e outros lançavam, aos beijos que juravam, às preces que se atiravam contra o betão e paulatinamente o iam corroendo. Primeiro uma fresta pequena; depois um buraco por onde os amantes e amigos e família se tocavam; no fim, sem força para a divisão, as pedras grandes espalmadas no chão e gente em cima delas, em abraços. 
 
Na vez da fragilidade das propagandas, proponho a força das ideias. Façamos, construamos ideias. E, porque elas podem surgir no meio de escombros, usemo-las num jogo para não parecer tão sério. Então o que pensei foi o seguinte: atira-se um tema para a mesa: sistema de votos dos sócios; direitos televisivos; quotização e bilhética; estratégia política com os órgãos de poder; solidariedade e Fundação Benfica; Casas do Benfica; política de aquisições; modelo de formação; modelo da equipa principal; discussão sobre o esquema directivo do clube, etc.. 
 
Cada vez que lançarmos aqui um tema, quem quiser participar enviar-nos-á textos fundamentados com as ideias que têm sobre esse mesmo tema. Dependendo do número de participantes, iniciaremos uma competição. Chamemos-lhe, de forma um bocadinho tonta, a Champions das Ideias – se tiverem nome melhor, agradeço. Imaginemos que 16 pessoas enviam textos sobre, por exemplo, o sistema de votos dos sócios. Nesse caso, iniciaremos a competição nos oitavos-de-final. Faremos 8 duelos, cada um com dois participantes. Cada duelo será um post no qual aparecerão os dois textos que serão votados – e, pede-se, comentados - pelos leitores de 0 a 20. Quem vencer, passa à ronda seguinte, na qual terá de defender as suas ideias sobre outro assunto relacionado com o clube. Se a participação for interessante, teremos não só uma problematização dos concorrentes como dos leitores ao longo de várias semanas. E, claro, nascerão ideias que podem posteriormente ser aproveitadas para o clube. Se não forem, ao menos discutiram-se soluções e projectos. Ganhará sempre o Benfica.

Vamos a isso?

16 comentários:

Ricardo disse...

That's more like it..

Tim disse...

Esta pastilha para a azia só peca por vir muito atrasada. Este blog nunca vai ultrapassar essa insanidade que sempre irá continuar latente...

Danilo Oliveira disse...

bela ideia.

pelo menos assim nao teremos insultos gratuitos a toda a hora.

Fernando Tavares disse...

Caro Ricardo
Quero desde já afirmar-lhe que não sou adepto do Benfica, mas tenho por hábito dar aqui ao seu sítio uma espreitadela nos seus escritos, que na esmagadora maioria são ponderados e bem estruturados.
É exactamente por isso que permita-me lhe propôr que a base do texto não seja sobreposta a uma imagem pois dificulta a leitura assim como o tamanho de letra se fosse um ponto maior quanto a mim não seria pior.
Não leve a mal esta minha sugestão mas como no início afirmei que costumo a lê-lo atrevo-me a dar-lhe esta sugestão
Aceite os melhores cumprimentos

bancada16 disse...

Estou dentro!!!

TheZ disse...

E eu aplaudo de pé uma iniciativa que em todas as eliminatórias até à 'final' terá como vencedor o Sport Lisboa e Benfica.

Parabéns!

PS: O nome parece-me óptimo

Tiago disse...

Talvez o melhor texto que li neste blog, que por sinal costuma brindar-nos com excelentes textos e acima de tudo com boas análises, muito delas criticas ao actual estado do SLBenfica, mas confesso que nas últimas semanas extremou-se em demasia posições.

O presente texto reflete aquilo que fez-me votar no último acto eleitoral em branco, por um lado uma direcção que fez coisas positivas, Centro Estágio, Benfica TV, aumento do merchandising do clube, recuperação da formação, reforço das modalidades (neste momento é impressionante a força do SLBenfica no Andebol, Atletismo, Basquetebol, Futsal, Hóquei Patins e Voleibol), aumento do número de sócios, apoio às Casas do SLBenfica (sendo verdade que também as usou para vencer eleições)...mas que depois e apesar do reforço competitivo no Futebol, não conseguiu vencer...e não conseguiu porque o adversário foi mais competente do que nós...em campo e fora dele e uma direção com tantos anos tinha obrigação de fazer melhor...depois um Presidente que tem comportamentos no minimo duvidosos...

Infelizmente e quando devia de ter aparecido uma lista que fizesse a ruptura no discurso, criticando o que estava mal no clube mas construindo, sendo superior às acusações do outro lado da barricada, assistimos precisamente ao contrário, ao descambar de ofensas dos 2 lados e honestamente a nenhuma alternativa válida que pudessemos pensar que estava na altura de mudar...foi isto que grande parte dos sócios do SLBenfica viu...por isso e ao contrário da minha expectativa os votos em branco foram residuais.

Isto tudo serve para dizer que concordo e aceito o repto lançado neste texto, importa é discutir o SLBenfica, a possibilidade de o fazer por temas / assuntos de importância relavante para o futuro de curto/médio - longo prazo é uma excelente ideia que estou certo terá a participação de muitos e muitos benfiquistas.

Acima de tudo, mais importante que os homens, está o SLBenfica afinal de contas para muitos de nós o Amor da Nossa Vida!

GLORIOSO SLB! SEMPRE!

Tiago Godinho

moleculasdeamor disse...

Um texto que revela a tua grandeza de alma, sabedoria plena... conta comigo... provavelmente não apresentarei estudos, somente coisas banais de uma mente banal... enorme abraço... é que continuarei sempre a ser Benfica... mas as SAD dos 3 grandes ai Jasus...

Sandinando Sófacles disse...

Brutal!

Rusty Ryan disse...

Nem mais. Façamos nós o trabalho que nos compete fora do campo, e esperar que a Direcção e jogadores do Benfica cumpram a parte deles, ou seja, Vencer em campo e conduzir o Glorioso a um futuro melhor!

Proponho que se aborde já o tema, ou um tema, que nos permite a analisar o porquê de muitos Benfiquistas estarem ausentes dos jogos, das eleições, do dia-a-dia do Benfica, chegar a conclusões e apresentar soluções para uma maior participação e envolvência dos Benfiquistas.

NB

MoJoDeath disse...

Vamos a isso!

Ginha disse...

Enorme... Venha da lá essa Champions!

David Duarte disse...

Ricardo, temo que aquilo que tu pedes seja pura e simplesmente a lua! Explico-me:

Se fores ver os blogues e as discussões do inicio da campanha (como dizes que fizeste) veràs que a maioria daqueles que afirmavam votar Vieira faziam-no qualificando posições contràrias (branco e Rangel) de anti-benfiquismo.

O que tu propões é de facto o que deveria de acontecer. Mas, como discutir com pessoas para as quais existe um principio de identidade Vieira-Benfica?!? Como discutir com pessoas que lêem criticas aos mandatos do Vieira como um ataque ao Benfica sem pararem dois minutos sequer para pensar se essas criticas são vàlidas ou não?

Estou bastante pessimista. Um pessimismo que aumentou com a minha saida de um Gang do Benfica apos o resultado das eleições ao ser alvo de cinismo e de gozo por não ter querido o Vieira... Como discutir, como estabelecer as bases de um dialogo constructivo quando uma das partes é pura e simplesmente refractària à diferença de opinião?

Louvo a tua proposta, não vejo como ela poderà efectivamente ser eficaz.

Sónia Pereira disse...

Muito bem! A magnanimidade não está ao alcance de todos.

Gon disse...

Assim dá gosto ler-te Ricardo. É disso mesmo que Benfica (e o país) precisa, construtivismo. Obrigado!

d.gomes disse...

Muito bom estou dentro.E fazer chegar essas champions de ideias dentro da direcção ? não temos um presidente que diz que tem a porta sempre aberta?