sábado, 27 de outubro de 2012

Considerações sobre as eleições


O português e o benfiquista são uma espécie muito curiosa, festejam quando há sucessos, gostam de falar mal dos "chefes" quando estes falham, mas quando são chamados a decidir, gostam de passar a batata quente aos outros. Foi com surpresa que li a generalizada congratulação com a quebra do recorde de votantes das eleições, em vez dos 21.804 em 2000, desta vez foram 22.676 votantes, apenas mais 872 votantes e não 872 sócios pois as Casas também votaram em 2012.

A minha questão é simples, quantos sócios tinha o Benfica em 2000 (150-180.000 ?) e quantos tem em 2012 (250.000) ? Em 2000 só se podia votar no Pavilhão da Luz, actualmente além do pavilhão da Luz pôde-se votar em Famalicão, Coimbra, Évora e Faro (à semelhança de 2009) e via internet para quem vive nos arquipélagos dos Açores e da Madeira e no estrangeiro. Além destas possibilidades adicionais, hoje em dia o Benfica conta com cerca de 300 Casas do Benfica que também têm direito a 50 votos.

Ao contrário do que se tenta fazer passar, a percentagem de sócios que estão afastados das decisões do clube é maior e não menor que em 2000 A 31 de Dezembro de 2011 o Benfica tinha 221.676 sócios, dos quais apenas 54.565 não podiam votar, ou seja o Benfica tinha 167.111 sócios com capacidade eleitoral, com excepção dos que têm quotas em atraso e menos de um ano de efectividade. Assumindo os 250.000 sócios que tem actualmente tem e que não aumentou o número de sócios com capacidade eleitoral significativamente, vamos assumir que existirão 160.000 sócios com capacidade eleitoral. Se contarmos os votos das Casas do Benfica como se fossem sócios teremos tido uma abstenção de 85,8%.

Eu vou repetir para ver se entendem: 85% de abstenção.

Onde está esse triunfo do benfiquismo então ? Se só 15% dos sócios com capacidade se dignaram ou puderam votar, algo vai muito mal em termos de associativismo. Para que não pensem que quero minimizar a vitória de Luís Filipe Vieira, não lhe atribuo muitas culpas no cartório, pois a responsabilidade de não votar é mesmo dos abstencionistas. Preocupa-me que o Benfica se preocupe em ter cada vez mais sócios, mas não se questione porque não querem os sócios participar na vida associativa do clube.

E sim, as Assembleias Gerais do clube, sejam a que aprovou os Estatutos com 100 ou 200 sócios, seja a que reprovou as contas com 500 ou 600 sócios são fenómenos muito preocupantes do alheamento dos sócios. A participação cívica dos associados na vida do clube deveria ser um objectivo das direcções, mas parece que por qualquer motivo não o é. 600 sócios num universo de 160.000 é pouco mais que insignificante.

Outro fenómeno interessante e quem falou comigo sabe que sempre previ um resultado dentro do que aconteceu, é o desfasamento total da blogosfera em relação à realidade. Desde vitórias de Rangel por 60 e 70% nas sondagens dos blogs até ligeiras vitórias de Vieira, um pouco de tudo se viu. Na verdade, Vieira teve cerca de 83% e Rangel cerca de 14%. É a prova provada que a blogosfera pouca ou nenhuma importância tem na realidade. Por isso, da próxima vez que se lembrarem de dizer que as críticas nos blogs perturbam o Benfica, convém que reflictam no resultado das eleições antes de dizerem baboseiras.

Dizem que se destruiu o mito que se fosse 1 sócio 1 voto o resultado seria diferente, pois em vez de 83%, Vieira teria tido 80%. É verdade, mas não deixa de ser verdade que nos sócios de 1 voto Vieira tenha tido 78%, enquanto que nos de mais de 50 votos, o valor foi de 87%. Isto só pode ter uma leitura, quem é sócio há menos tempo está mais predisposto à mudança, enquanto quem é sócio há mais tempo prefere a tranquilidade do conhecido. É natural que quem está no poder e sabe que os mais velhos são mais avessos à mudança, prefira reforçar esse segmento pois se por ora não tem/teve oposição à altura, quando tiver, convém ter esse balão de ar, esse e o das casas.

Acerca do voto branco. Espero que todos aqueles que votaram em branco, convictamente por não se reverem nas opções em confronto, percebam da inutilidade desse voto. O voto branco, ou o nulo noutras eleições que não electrónicas, apenas são relevantes como voto de protesto se tiverem uma expressão significativa. Com 3,15% dos votos não mostraram ser minimamente relevantes, ou seja, a grande maioria reviu-se nas opções, em especial em Vieira.

Quanto a Rangel, por mais que tenha tido dignidade na derrota fez uma aposta completamente falhada. Surgiu tarde e a más horas, tentando cavalgar uma Assembleia Geral conturbada e com uma campanha onde teve duas pechas fundamentais: não afastou o fantasma Veiga e marcou a sua campanha demasiado pela negativa. É certo que foi vítima dos torpes ataques de uma imprensa que cada vez mostra ser menos imparcial e estar mais ao serviço de certos interesses, mas isso nunca o deveria ter levado à campanha pela negativa. As suas boas ideias não passaram e talvez com medo de um resultado mais expressivo, as bombas de Vieira - baixa do preço de quotas e bilhetes, passagem dos direitos de transmissão da Olivedesportos para a Benfica TV e promessa da conquista no futebol de 3 campeonatos, a presença numa final europeia e a conquista de 50 títulos nas modalidades - rebentaram com o fôlego que Rangel vinha criando. E sim, eu votei em Rangel convictamente por considerar que a lista tinha pessoas mais benfiquistas e mais competentes.

Mas atenção, não são 100 ou 200 arruaceiros como ouvimos frequentemente. São 3.744 os sócios que estão descontentes com Vieira ao ponto de ir votar numa candidatura alternativa geralmente vista como sendo pouco consistente. Mas além destes ainda houve mais 793 sócios que foram votar em branco, para punir Vieira pelo mau desempenho ou simplesmente não conseguiram confiar na lista B. Ignorar os descontentes, rotulá-los de arruaceiros e desordeiros do costume é contribuir para uma cisão que é bem visível ao ler o Facebook ou os blogs.

É certo que os que se expressam na internet representam apenas uma parcela insignificante da realidade, mas o não cumprimento de promessas feitas nos últimos dias de campanha será cobrada com juros elevados, e daí talvez não. O papão Vale e Azevedo não perdurará para sempre na memória dos benfiquistas. Se a oposição não hibernar durante 4 anos e as promessas não forem cumpridas, não tenho dúvidas que poderão apresentar uma candidatura com um projecto mais credível e sustentado.

A bola está do seu lado sr. Presidente. Já começou mal com esse discurso fracturante para quem não se revê nas sua gestão. Mas, o mais importante agora é o sucesso desportivo, nomeadamente as conquistas dos campeonatos no futebol e nas modalidades, as transmissões dos jogos da equipa principal do Benfica na Benfica TV, a baixa de preços das quotas e dos bilhetes, o reforço da capacidade financeira do Benfica. Vamos ver se será capaz de cumprir em 4 anos, aquilo que não fez até agora.

PS - Para quem andou a espalhar que os Andrades queriam a vitória do Rangel, basta passar pelos fora  e blogs deles a congratularem-se com a vitória de Vieira
PS2 - Leiam no Expresso, ou na Bola online o que deu verdadeiro gozo ao peidoso


13 comentários:

João Duarte disse...

Segurança " o sr só tem 1 voto..."
Eu: "eu sei"
Segurança:" e vem votar?"

Este sistema de votos afasta os novos sócios do clube. Faz com q se sintam irrelevantes na tomada de decisão. Por isso, quem tem poucos votos e preferia o Rangel, ficou em casa.

Socio slb nº 218219 disse...

Bcool: temos a maior votação de sempre! A lista A ganha em todas as categorias de socios com 80% dos votos(1, 5, 20 e 50 anos)... e tu alertas para os socios que nao foram votar, lançando o anatema da ilegitimidade da direcçao ou de representar apenas uma minoria? Tem juizo. foi uma vitória esmagadora. sem espinhas...
O teu PS da-me vontade de chorar ou de rir. Benfiquista preocupado com o que o bufoso pensa ou deixa de pensar...Enfim.

71460_5/8 disse...

Mesmo sem as casas do Benfica o número de sócios que votou é um record. Este é um facto indesmentível. Não foi o LFV que ganhou com isso. Quem ganhou com isso foi o clube e tanto o LFV como o Rangel foram responsáveis.

Se houve 85% de abstenção uma das conclusões possíveis é que a maioria não sentiu necessidade de votar em quem se esperava que vencesse. Porque como bem referes, em 2000 havia menos sócios e em percentagem votaram mais. Claro que sim. Tínhamos de correr com um ladrão (isto não é um rumor... são factos!).

Se a um votante tivesse sido dado apenas um voto, LFV ganharia com 80%. Esclarecedor da falsa questão do número de votos.

Ninguém rotula os 3744 votantes da Lista B em arruaceiros. Esses exerceram o seu direito.

Mas um dos problemas que a lista B tinha era precisamente ter o apoio dos 100 ou 200 que não se sabem comportar! 100 ou 200 que acham que o Benfica é deles e não de todos os benfiquistas! Ou pior. De 100 ou 200 que queriam uma direcção como a do Sporting que anda a usar as claques para o inadmissível e ainda lhes pagam!

Valco disse...

Vai ser mais do mesmo.
Faz-me lembrar a fábula do sapo e do escorpião.

Nuno Bento disse...

Excelente B Cool. Subscrevo inteiramente.
Fiquei muito desiludido por perceber que os benfiquistas têm uma aversão à mudança desta magnitude, mesmo sabendo que a mudança lhes faria perder apenas um presidente medíocre.
Mas estou de consciência tranquila. No blog onde escrevo, fiz o que pude para esclarecer os benfiquistas e segundo sei, nalguns casos até tive sucesso. É o que me basta, fiz a minha parte.

Nuno Bento disse...

Excelente B Cool. Subscrevo inteiramente.
Fiquei muito desiludido por perceber que os benfiquistas têm uma aversão à mudança desta magnitude, mesmo sabendo que a mudança lhes faria perder apenas um presidente medíocre.
Mas estou de consciência tranquila. No blog onde escrevo, fiz o que pude para esclarecer os benfiquistas e segundo sei, nalguns casos até tive sucesso. É o que me basta, fiz a minha parte.

JNF disse...

Quais 150.000, em 2000 não deveriam ser mais de 85 mil sócios!

Pá, é como dizes, e eu até tinha alinhavado umas ideias semelhantes sobre o facto de gostarmos de protestar com os chefes, com o Passos Coelho, mas ai de quem diga mal do presidente do clube! Ridículo. É o Benfica que temos. Mas não é o meu Benfia.

moleculasdeamor disse...

Caríssimo e outros caríssimos...

Ontem acabei por ir votar Rangel, homem que desconheço, no entanto à última decidi "não lavar as mãos"... para o caso (Vieira) pouco lhe (lhes) interessa os descontentes... interessa-lhes o poder e os benefícios associados a esse poder (e tenho um pequeno feelling que no outro lado era mais ou menos assim).
No estado em que o clube está iremos observar nos próximos dias/semanas/ meses... eventualmente anos a mais decisões contraditórias, devido à crise - teremos que aceitar a Olivedesportos porque vai oferecer 30 milhões e o clube precisa de ter dinheiro vivo e o preço dos bilhetes e dos red não será possível baixar... continuaremos a não ter uma politica desportiva (não falo de vitórias - falo de vendas à ultima hora, de jogadores perdidos, da formação esquecida... e outras cenas) mas teremos um marketing poderoso... e creio que dentro de um tempito... iremos falar do Benfica e diremos...

Já não sou sócio... provavelmente não irei tão cedo ao estádio e quando a equipa começar a perder e a jogar mal deixo de ver jogos ---- ah mau benfiquista dizem vocês... as relações quando deixam de dar alegrias deixam de fazer sentido e eu tenho feito de tudo por esta relação, já são 35 anos de amor pouco correspondido nos últimos 25! O masoquismo sendo uma faceta legitima porque observável... não serve a toda a gente, só a alguns!

Abração!!!!

Francisco disse...

O que é que aconteceu ao post do video da votação online só com a lista A?

Fehér 29 disse...

Aqui em casa há dois sócios. ambos com menos de 18. ambos votariam em Rangel, se pudessem. Eu só peço ao dr Rangel que não desista porque daqui a quatro anos contará certamente com mais dois votos, e grão a grão enche a galinha o papo.

Irons disse...

Toda a gente esquece uma coisa, o Benfica tem sócios espalhados pelo país, de norte a sul, acham mesmo que um gajo que viva em Bragança, iria se deslocar a VN de Famalicão só para ir votar? Gastar dinheiro em Portagens, gasolina, com a crise em que estamos? Pensem nisso, estamos na era das novas tecnologias e com 300 casas espalhadas, se os socios pudessem votar nas suas casas ou nas casas do benfica na zona da sua residência, pensam que não haveria luta mais renhida nas eleições? Tal como não estou a ver um gajo a viajar de Bragança a VN Famalicão de propósito, não vejo um gajo a ir de Sines a Lisboa ou Évora, ou um gajo a sair da Covilhã ou Castelo Branco para ir a Évora! A vida, como a temos hoje, está difícil e há que repensar na forma como se faz a Assembleia Eleitoral e o mesmo digo para as Assembleias Gerais, quem são as pessoas que vão às AG´s em dias de trabalho, dias de semana? porque não as fazem aos Sábados?

B Cool disse...

Se em Portugal existissem eleições para a AR com uma abstenção de 85% caíria o Carmo e a Trindade. O Irons toca nos pontos fundamentais, o Benfica não se aproxima dos sócios, fez um esforço em 2009 disponibilizando 4 lugares adicionais de voto e em 2012 permitindo a votação a quem não vive em Portugal continental.

Se acham que é suficiente estão no vosso direito, se acham que as AGs devem ter 100, 200 ou 600 pessoas para tomar decisões tão importantes como alterar estatutos ou aprovar contas, é porque continuam a imaginar que o Benfica ainda é um clube de bairro que está situado em Lisboa.

A grande vitória eleitoral que representou mais 800 votos em relação a 2000 (+4%), quando temos pelo menos mais 70 ou 80% de sócios (estimativa muito por baixo) é um logro.

Quanto a ti sócio 218219 já te disse para não repetires essa mentira, nos sócios com direito a 1 voto, Vieira não chegou aos 80% sequer. E não, não quero dizer que a direcção não tem legitimidade, não sei onde é que leste isso nas minhas palavras, deve ser mesmo só má vontade. A responsabilidade da fraca participação é dos sócios e fosse abstenção apenas de 15% a legitimidade seria a mesma que existe com 85%.

Porque parece que não entendes, o que acho é que o Benfica se deve aproximar dos sócios e querer que eles participem activamente na vida associativa em vez de marcar AGs para a 5.ª à noite.

Com uma rede tão grande de Casas do Benfica seria importante que as Casas todas, incluindo aquelas que estão normalmente fechadas mas também têm direito a 50 votos, disponibilizassem a possibilidade aos sócios de votar nas eleições.

Seria importante que o Benfica tivesse um sistema de transmissão nterna, poderia ser via internet, para que os sócios pudessem ir às Casas do Benfica assistir às AGs e nelas pudessem também votar, sejam alterações estatutárias sejam aprovações orçamentais. Mais, cada sócio que tem uma área pessoal no site do Benfica, poderia assistir na privacidade da sua casa às AGs e votar através do site no que entendesse ser o melhor para o clube.

Porque ao contrário do que alguns pensam, o Benfica só tem a ganhar com a participação generalizada dos sócios, ao invés de contar com os mesmos 100 ou 200 do costume que vão às AGs. Mas lá está, isso é para quem quer que exista uma democracia participada.

Hattori Hanzo disse...

Concordo com o Irons: não faz muito sentido a votação ser apenas numas poucas casas espalhadas pelo país. De resto penso que deverá ser para o ano que se irá acertar o nº de sócios e aí vai-se ver quantos sócios existem na realidade e duvido que na realidade tenha-mos sequer 200 mil (o que não faz com que a abstenção seja um nº muito grande, é-o de facto).
Eu já tinha dito anteriormente no post do Sérgio: regra geral há medo do que se desconhece e por isso quem está lá mesmo que tenha mandatos péssimos partirá em vantagem (falo no geral, não no caso específico do nosso clube). Mesmo assim esperava que o Rangel conseguisse chegar aos 20%, penso que os 13% são um mau resultado por isso mesmo...