sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Eleições


Introdução - Não era para abordar o tema eleições antes de se saber se há candidatura alternativa a LFV, mas tendo em conta que surgiu este tema no NGB, resolvi compartilhar o meu comentário nesse post e dizer o que espero que uma lista alternativa apresente para me convencer a votar nela. 


Eu não votarei no Vieira pois se acho que o primeiro mandato foi positivo, desde aí foi diminuindo progressivamente a qualidade da sua governação até ter atingido o mínimo possível durante este mandato.

A ser verdade que a On-going tem 50% do BSF, acho que existe claramente um conflito de interesses entre JEM vice-presidente e Administrador da SAD e JEM e accionista e Vice-Presidente da On-going.

Se Rui Rangel se candidatar, preocupa-me a questão de Veiga ser o principal impulsionador da candidatura, não por questionar o seu benfiquismo, ou pelo conhecimento que tem do sistema, mas porque como nos lembraremos do mandato de Vilarinho, quando certos "apoiantes institucionais" como o Bibi são indispensáveis para a eleição depois cobram favores em termos de aquisição de jogadores, lembram-se do Roger e dos lamentáveis episódios ?

O que me poderia interessar no projecto do Rangel para me levar a votar nele:

1-Órgãos sociais que me garantissem o respeito pela história e democracia do Benfica, algo que não tem acontecido nas listas do Vieira, desde o Presidente da AG que se estava cagando para a oposição, ao sr. que vai completamente ébrio para as AGs

2-Um projecto para alteração dos estatutos que restaurasse mais democracia no Benfica, diminuindo progressivamente o peso dos sócios com mais anos de filiação até que fosse 1 sócio 1 voto e acabando com votos de casas e filiais, alguém acha bem que Gil Vicente e Santa Clara tenham direito a 20 votos ? E que as Casas do Benfica em vez de se centrarem na sua actividade de representação institucional do Benfica se andem a meter em política e a apoiar candidatos ? Para que não haja dúvidas eu tenho direito a 50 votos e acho isso uma aberração pois não me acho nem mais nem menos benfiquista do que quem o é há menos tempo.

3-Projecto estratégico de desenvolvimento internacional para o Benfica. O Benfica não pode ser um clube demasiado centrado em Portugal. Os mercados mais interessantes são:
a) os dos países em crescimento acentuado - Brasil, Angola, Rússia, China, Índia
b) mercados onde há fortes comunidades portuguesas - EUA, Canadá, Suiça, Alemanha, França, África do Sul, Venezuela
c) mercados de países desenvolvidos onde o futebol não tem grande desenvolvimento futebolístico mas onde há uma base cada vez maior de adeptos com grande poder económico - EUA, Canadá (estão repetidos porque o target populacional é diferente), Japão, Coreia do Sul, Austrália.

4-Questão dos direitos televisivos, nomeadamente soluções a curto/médio prazo e longo prazo - manutenção ou não do actual operador com um contrato de curta ou longa duração, desenvolvimento de um projecto próprio, negociação colectiva dos direitos via liga, etc. Abordagem da questão das diferentes plataformas de transmissão - tv por cabo, net, telefones e ipads, you yube, etc.

5-Modelo de gestão global da SAD - manutenção do modelo actual que passa pelo scouting de talentos, acrescentar-lhes valor e posterior transferência para mercados com maior capacidade financeira considerando essas receitas como operacionais e não extraordinárias, integração ou não da formação de base como alternativa ao scouting e enquadramento da equipa B nesse objectivo, alteração do paradigma, nomeadamente através da expansão das receitas e contracção das despesas por forma a que os proveitos operacionais excluindo transacções de jogadores cubram os custos operacionais incluindo as amortizações com passes de jogadores e os custos financeiros

6-Financiamento - Projecto que vise a redução de passivo da SAD e do Clube e como o fazer sem demagogias ou frases feitas

7-Renegociação dos valores associados à cedência da Marca Benfica à SAD

8-Gestão do futebol - aposta em jogadores como activos financeiros versus aposta em jogadores apenas como activos desportivos (Aimar, Saviola, Rui Costa) ou mix de ambas, recuperação de figuras do Benfica para a gestão do futebol (Humberto, Toni, JVP, Nuno Gomes, etc,) versus manutenção de figuras com outra cultura (Carraça, Jorge Gomes, etc.)

9-BSF e outros fundos - tendo em conta o fim de vida útil do BSF em 2014, qual o posicionamento do Benfica face à extinção. Constituição ou não de um novo fundo. Parceria com outros fundos como o Doyen ou manutenção da relação com esse Fundo como a excepção. Futuras parcerias com o Doyen ou não ? 

10-Recuperação de valores - Luta contra a corrupção pelo exemplo, fair-play mesmo nas derrotas, mudança do discurso futeboleiro de simples desculpabilização dos insucessos e assunção de culpas próprias nos insucessos, transparência na gestão assumindo sem problemas as decisões de gestão como as vendas de jogadores importantes em vez de se criarem pantominas como as da tentativa de renovação do Witsel

11-Mudanças na organização do futebol português - luta para a contribuição para a limpeza do futebol português via toda uma mudança do edifício organizativo do futebol português, nomeadamente com o fim do sistema das associações na FPF esse alfobre de compadrios, luta pela instauração de um tribunal desportivo, promoção da transparência no futebol através da criação de uma casa de transferências onde fossem registadas todas as transacções com identificação obrigatória de todas as partes envolvidas (fundos, comissões, empresários, destinatárioos, valores).

12-Ecletismo - qual a visão para as modalidades de alto rendimento e as modalidades amadoras, para as escolas de modalidades e para o Projecto Olímpico.

13-Equipa de gestão para a SAD e para o clube - gestores competentes, homens do futebol, homens das modalidades, mas acima de tudo Benfiquistas

14-Responsabilidade Social - Posicionamento do Benfica na sociedade enquanto entidade responsável social e ambientalmente

15-Comunicação - criar uma linha editorial independente das direcções, de defesa do clube, mas que seja verdadeira

16-Empresas do Grupo Benfica - avaliação da sua sustentabilidade e definição de opções estratégicas - podem funcionar com prejuízo desde que cumpram objectivos estratégicos

Penso que estes pontos são relevantes para o desenvolvimento do clube e da SAD. Obviamente que não espero que alguém responda a estes pontos todos, mas pelo menos a parte substancial deles.

Volto a reafirmar, não voto em Vieira pois já não lhe reconheço competência para continuar a gerir o Benfica. Neste momento, voto em branco, mas as respostas a estas perguntas podem levar-me a mudar para uma eventual candidatura do Rangel.

44 comentários:

Fake Blood disse...

Esqueçam o Veiga.

Bom post.

MF disse...

Fantástico! Reconheço que um programa eleitoral que respondesse às questões levantadas e aos pontos descritos, merecia toda a atenção. Ainda assim corremos o risco de 'muito prometerem e pouco fazerem' quaisquer lista que se apresente.

Para mim, é este tipo de projecto que gostava de ver as pessoas que gerem o Benfica a ter como prioridade e não a ascensão social e/ou negócios pessoais em claros conflitos de interesse.

Atendendo ao comentário final, infelizmente revejo-me na posição do Bcool e reconheço ser difícil libertar o Glorioso destes medíocres que nos afligem.

Excelente artigo! Parabéns!
Gloriosas saudações,
- MF
http://oexpressodavitoria.blogspot.pt/

superaguia1904 disse...

A 1ª questão que importa ser esclarecida é esta: Rangel é protagonista de uma candidatura genuinamente benfiquista que pensa exclusivamente no interesse do Benfica e não de terceiros?

Parece-me que Rangel foi apenas o candidato escolhido para servir de cavalo de troia aos interesses de Veiga e ao grupo do Veiga. Se assim é, é sinal de que é um candidato por maus motivos e com maus objectivos!

Como analisar o mérito de qualquer projecto hipotético desta candidatura se ela priveligia interesses pessoais e corporativos e não pensa exclusivamente no interesse do clube?




PP disse...

B Cool,

Manterias o treinador?

E, já agora, uma pergunta para todos: acham que se um candidato apresentar futuros reforços como trunfos de campanha, fará sempre a diferença nas urnas, ou as pessoas já estão mais conscientes das coisas e tentam ser mais racionais e não tanto pelo show-off?

Gostei do artigo. Eu até tinha umas quantas ideias relativamente a geração de novas receitas e por conseguinte aliviar o Benfica de tantos empréstimos...

Shadows disse...

Bcool, lá no NGB como aqui é um excelente artigo.

B Cool disse...

@superaguia quem afirma isso e o que te leva a pensar nisso ? além do mais essa questão poderia ser posta em relação a LFV se quiséssemos explicar o apoio ao Nandinho das facturas, à amizade com o Oliveirinha do roupão, do Bob Salvador, etc. etc. etc.

@PP acho que não é uma questão relevante para as eleições, nem o treinador nem os jogadores, pois estamos em Outubro e a época decorre até Maio. Dito isto, acho que o tempo de Jesus, assim como de LFV, já passou, agradeço o que de positivo fizeram, mas acho que o futuro do Benfica seria melhor com outras caras, contudo volto a frizar que prefiro discutir qurestões estratégicas que treinadores ou jogadores

Gonçalo disse...

Não concordo com o ponto 2. Nem é questão de se ser mais ou menos benfiquista, é questão de que quem esteve 25 anos a pagar quotas deve ter um peso maior nas AG's que uma pessoa que pagou 1 ano de quotas, porque contribuiu mais para o Clube. Para além de que qualquer dia aparecia um multimilionário árabe que investia em 100 mil kits sócio e comprava as eleições. E quem diz multimilionário árabe diz Pinto da Costa, Oliveira, etc.

Quanto muito poderia haver diminuição do tecto de votos de 50 para 25, ou maior esbatimento quanto aos escalões de voto

Mas em relação aos votos das Casas e Filiais é de facto uma aberração, como eu também afirmei.

De resto, concordo com tudo.

B Cool disse...

@Gonçalo, compreendo o que dizes mas não concordo, pois por essa teoria quantos mais anos de descontos tivéssemos para a segurança social, teríamos direito a mais votos no que diz respeito ao país.

Quanto à questão de um pára-quedista que tanto preocupa o pessoal, em vez de permitirem o direito de voto ao fim de 1 ano de sócio e visto que os mandatos são de 4 anos, poder-se-ia dar a volta a essa situação atribuindo o direito de voto só após esses 4 anos iniciais.

Fernando Arrobas da Silva disse...

Grande Ricardo .

É de jovens, somente pelo Benfica, que o Benfica precisa .

Um texto como este dá-me esperança... Nem que seja no futuro . A semente existe...

Grande abraço !

mnlopes disse...

B Cool, bom post.

Estou em sintonia contigo com a excepção do ponto 2. Nesse aspecto subscrevo inteiramente o comentário de Gonçalo.

Mas será que o Veiga está mesmo ligado ao Rangel? Tenho ouvido muitos nomes associados a ele (Bagão Félix, Boto, João Carvalho, Tavares) mas o de Veiga não. Acho que devemos aguardar pela comunicação oficial da lista de Rangel.

Para bem do nosso Benfica era bom que estas duas próximas semanas fossem de intenso debate e explanação de ideias. Gostava realmente que assim fosse.

Gonçalo disse...

Muito simplisticamente, e respondendo ao teu argumento: impostos e segurança social são coisas que todos têm de pagar - não há opção. É algo que concerne a todos, portanto, todos devem ter direito a votos iguais. A questão da Segurança Social não se traduz em votos, mas sim na pensão de reforma que se recebe: quem mais pagou, recebe mais.

Pelo contrário, numa associação desportiva, paga quem quer. Não há qualquer obrigatoriedade de pagar. E quem mais despendeu não tem qualquer benefício em relação a quem pagou menos a não ser precisamente o peso que os seus votos têm em relação aos outros. Portanto, devem-se manter escalões de votos.

Outro argumento: se cada um tivesse apenas direito a um voto, ninguém pagaria anos seguidos de quotas. Isto porquê? Porque quando não houvesse eleições, a maior parte das pessoas deixaria de ter interesse em pagar 12 euros por mês. Um ano antes das eleições, toda a gente se faria sócia de novo para poder votar. As únicas pessoas que teriam interesse em pagar quotas seguidamente seriam aquelas que vislumbrariam algum cargo nos Órgãos Sociais, onde se requer anos de quotização ininterrupta.

Nem falo da questão dos paraquedistas, que é uma expressão que me irrita solenemente! Quem decide o quem é paraquedista são os sócios em eleições, não é mais ninguém. Claro que tem de haver mínimo de anos de sócio para poder concorrer - mas estes 25 anos são absurdos. Para dar um exemplo, se Borges Coutinho quisesse hoje concorrer a eleições não poderia. Porque quando concorreu às primeiras tinha apenas 10 anos de sócio...

B Cool disse...

@Gonçalo, se a questão são benefícios, então que os sejam em termos de descontos - quotas, bilhetes, red pass, ofertas, camisolas, merchandising, etc. etc.

Por essa teoria do contribuir, os detentores de títulos fundadores qualquer dia teriam mais direitos de votos que os red pass normais e estes mais que os sócios sem bilhetes de época. Ou então fazia-se uma escala em que os votos era proporcionais ao que os sócios tinhamgasto no clube, não ?

Esse argumento do não pagamento de quotas pode aplicar-se ao JEM, não ?

Seja como fôr, senão tivesse o pagamento de 4 anos seguidos não poderia votar e como o mandato é de 4 anos, acho que está resolvida essa questão.

Além do mais acho que as pessoas não se fazem sócias porque querem ter direitos de voto, fazem-se sócias porque gostam do Benfica, querem ajudar e têm possibilidades para tal.

Eu pelo menos quando me inscrevi nunca foi a pensar nos votos que teria direito ao fim de alguns anos, mas sim porque gostava do Benfica e porque queria ir ver jogos com frequência.

Na minha família fui o primeiro a fazer-me sócio apesar de haver vários bnfiquistas, apenas porque o meu compromisso com o Benfica era maior e porque os meus pais podiam pagar as quotas.

superaguia1904 disse...

"Outras fontes, no entanto, adiantaram que José Veiga está "muito preocupado" com a situação de Rangel e que estará já a tentar arranjar uma alternativa." (CM, 12/10/2012)

Gonçalo disse...

Os descontos e ofertas são generalizados para todos os sócios, não havendo discriminação por anos de filiação. Todos os sócios têm possibilidade de comprar cativo, têm descontos na loja do Clube, bem como ofertas (bilhetes grátis para o jogo com o PSV, por exemplo).

Os detentores do título fundador têm o direito de preferência na compra do lugar durante 10 anos. Quem pagou 75€ pela camisola, recebe a camisola. Quem comprou o cativo por 150€ pelo cativo, tem o direito de assistir a todos os jogos do campeonato. Por todo este dinheiro que os sócios gastam obtêm uma contraprestação.

Pelo contrário, as quotas são uma contribuição pela qual os sócios não recebem retorno imediato, nem têm direito a exigir contraprestação.

Ora, como as quotas são uma pagas voluntariamente e não são obrigatórias, parece-me mais que justo que quem paga 12€/mês sem receber qualquer benefício directo durante mais tempo tenha mais peso na hora de decidir os destinos do Clube.

B Cool disse...

a contra-prestação pelas quotas são os bilhetes mais baratos face aos não-sócios, já para não falar em poder comprar merchandising do clube com desconto, 6 centimos de desconto na repsol e todo um manancial de descontos em estabelecimentos comerciais por todo o país.

Quanto aos descontos aquilo que dizia era terem escalões de descontos em função do número de anos de sócios, assim como quem compra o red pass durante 5 ou 10 anos seguidos deveria ter direito a uma oferta melhor do que quem compra apenas 1 ou 2 anos.

bivolta disse...

Rangel é um candidato emergente do seu pensamento sobre o Benfica e ainda não tem programa e projecto a 15 dias das eleições.?

Porque não tem nomes, alem de Veiga, a manifestarem apoio?

Qual a capacidade financeira e garantias que Rangel tem para apresentar aos socios? É que gerir o Benfica não é o mesmo que ir ao stand ou alugar um apartamento no saldanha.

Quanto ao post, se se trata de ideias proprias e acha que é isso que falta ao Benfica (para alem de querer LFV fora) acho que é muito pouco. Só o odio a quem tirou o Benfica do lamaçal é revelador. E, já agora, onde estavam os anti-LFV quando este apareceu? Pois é, antes o Benfica não era actrativo. Pelo contrario hoje atrai alguns, porem é só fumaça. Algo mudou no Benfica e não só por obra e graça de LFV, mas de todos os que com ele trabalham.

Gonçalo disse...

O simples facto de teres a possibilidade de comprar bilhetes, cativos ou merchandising com desconto não faz disso uma contraprestação pela quota que pagas. Não se pode falar de direito de preferência, porque se os bilhetes, os cativos ou as camisolas esgotarem não tens hipótese de comprar mais, já que não tinhas prioridade sobre os outros sócios. O que recebes das quotas é a possibilidade, e não o direito, de comprar, ou obter descontos, noutra coisa. Os descontos em estabelecimentos comerciais também dependem de mais dinheiro que gastes a comprar outras coisas.

Mantenho, por isso, a minha teoria.

Mas já vi que nenhum de nós vai mudar o seu ponto de vista, se for convocada uma AG para alterar isso voltamos à discussão!

B Cool disse...

é isso Gonçalo, concordamos em discordar e assim se faz a democracia.

@bivolta, quanto ao Rangel não sei, como diz o post para já voto em branco. quanto ao post, claro que se tratam das minhas ideias, não preciso que me escrevam discursos. Já agora, se estas ideias são poucas, quais são as suas que não vi nenhuma nas linhas que escreveu ? É que ao menos eu ainda abordei uma série de áreas que acho que um candidato deva abordar num programa para o Benfica, mas desse comentário, nada que se aproveitasse.

Não tenho ódio a ninguém, muito menos a benfiquistas. Não gostei do desempenho de certas pessoas en certas funções do clube e tenho direito a isso, penso eu. Quanto a tirar o Benfica do lamaçal, referes-te mesmo a quem ?

Quanto ao LFV, só tenho a dizer que nunca o vi lá no tempo das AGs do VA e menos ainda o vi quando foi da candidatura do Vilarinho. Onde estava o LFV nessa altura ? Já sei, estava no Alverca a enviar Decos e Cajus para o Porto.

Como continuam o revisionismo da realidade é que para mim é intrigante. Em 2000 concorreu Vilarinho e não Vieira contra JVA. Em 2003 Vieira concorreu pela primeira vez e derrotou Jaime Antunes. Será que nessa altura ele não estava interessado em dirigir o Benfica, era só por concorrer ?
Convém ser sério quando se fazem certos comentários, correndo caso contrário o risco de parecer ridículo.

B Cool disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
B Cool disse...

A terminar Gonçalo, eu quando me fiz sócio era o 98.000 e tal, mas o Estádio tinha 120.000 lugares e a contra-prestação por ser sócio era mesmo aceder ao estádio por um valor inferior aos outros, e quem diz ao estádio diz aos pavilhões, à piscina ou então mesmo praticar desporto no SLB - ténis, natação, ginástica, judo, etc..

David Duarte disse...

"Não concordo com o ponto 2. Nem é questão de se ser mais ou menos benfiquista, é questão de que quem esteve 25 anos a pagar quotas deve ter um peso maior nas AG's que uma pessoa que pagou 1 ano de quotas, porque contribuiu mais para o Clube".

Não estou nada de acordo Gonçalo. Se esta logica fizesse sentido (para mim) então teria que aceitar, por exemplo, que um cidadão numas eleições valesse 50 votos porque jà descontou muitos anos para o Estado enquanto que um miudo de 18 anos jà vai com sorte em ter apenas 1 voto porque em principio nunca descontou.

Não é porque se é socio do Benfica hà mais tempo que se tem mais direitos, em eleições, que outros hà menos tempo. Aqui não é a quantidade de anos que deveria interessar, mais sim a qualidade do benfiquismo. E parte-se do principio que essa qualidade é igual num socio de 50 anos como na de um socio de 5 anos. A unica diferença entre os dois està num facto de um ter nascido mais cedo que outro.

Bcool, grande texto! é cada vez mais dificil ter um raciocinio claro e objectivo sobre estas eleições que ai vêm. Quer queiramos quer não, a maioria dos benfiquistas (estou incluido nessa maioria) tem posições radicais, contra ou por Vieira. Um texto como este mete os pontos nos is, evidenciando as questões fundamentais... e não, entre essas questões não se encontra a do treinador. A questão do treinador é uma questão menor neste momento.

David Duarte disse...

Gonçalo, vejo que jà respondeste ao Bcool, que apresentou uma argumentação similar à minha.

José Ramalhete disse...

Acho curioso virem aqui pôr a hipótese de Rangel ser um cavalo de tróia de interesses terceiros e não pensarem que Moniz o possa ser em relação ao Oliveira, dadas as circunstâncias que estiveram na génese da Olivedesportos.

superaguia1904 disse...

Também acho curioso uma pessoa que era considerada um ótimo candidato há 3 anos ter deixado de o ser pelos mesmos que o apoiaram.

E é curioso que a pessoa que assumiu, em entrevista, ser-lhe indiferente o Benfica negociar com a Olivedesportos, pertencer à lista de Rangel.

É curioso é!

Tiago disse...

"Ontem Vi-te No Estádio da Luz" à presidência!

Gonçalo disse...

B Cool, se não me engano, no antigo Estádio sócios não pagavam bilhete no 3º anel, a não ser em jogos grandes e competições europeias. Mas não tenho a certeza, na altura era o meu pai que tratava das entradas já que eu ainda não tinha idade para comprar bilhetes...

David Duarte, então era preciso que houvesse um espaço temporal em que os novos sócios não pudessem votar. 5 anos no mínimo. Porque se os votos fossem os mesmos para todos o que impediria um árabe ou o PC de comprar uma eleição?

Outra hipótese seria restringir o número de sócios ao tamanho do Estádio. E só entrariam novos sócios por proposta de sócios com uma certa antiguidade, e apenas quando houvesse vaga. É o sistema de alguns clubes, como o Real, o Boca Juniors, etc. Mas, com 200 mil sócios, é um sistema impossível para o Benfica.

Os mesmos votos para todos os sócios é, na minha opinião, uma ideia perigosa se for implementada sem restrições rígidas...

B Cool disse...

@Gonçalo, se perguntares ao teu pai, antigamente era assim, só por proposta de um sócio do Benfica que avalizasse o novo sócio que iria entrar, é que poderíamos ser sócios.

Eu lembro-me de ir para o 3.º anel contra o Estrela da Amadora, o último jogo do campeonato de 90/91e ter que pagar, embora nessa altura quase sempre via os jogos no 1.º anel.

Seja como fôr, acho que os anos do mandato seriam suficientes, mas lá está, isso é um assunto para outras núpcias, até porque acho que com ou sem oposição o LFV vai ganhar e não irá querer revisão estatutária. E volto a dizer que é bom haver posições divergentes.

Volto a dizer que prefiro discutir projectos a pessoas, mas compreendo que é preciso acreditar ou não nas pessoas que propõem os projectos.

O melhor a fazer é esperar pelo dia 16 e ver se há 1, 2 ou mais listas e depois quais os projectos das mesmas.

David Duarte disse...

Não percebi Gonçalo. Como é que um PC ou um arabe poderia comprar uma eleição onde cada socio teria direito a apenas um voto?

B Cool disse...

@mnlopes, eu também gostava que houvesse debate de ideias, quem sabe se as boas ideias não se dividem por pessoas com diferentes entendimentos daquilo que deve ser o Benfica. Quanto a nomes não te posso ajudar, o melhor mesmo é esperar para ver o que dá à costa

bivolta disse...

Ao B cool,
estou-me marimbando para o que LFV fez antes de ser presidente, porque não sou pidesco nem valorizo as andanças que relatas. Já as ouvi/li de inimigos do glorioso.........

Falo do concreto,
quantos apareceram para enfrentar LFV, com credito e garantias, para fazer o que ele conseguiu?

Mal ou bem conseguiu tirar o Benfica do lamaçal. Não sabes qual? É porque andas desfazado da vida do benfica.

Para terminar,
O que fez Rangel, o que fizeram outros anti-LFV?

------------------------ Obviamente, o Rangel para ti, só obrigado.
Pois olha, por obrigação, cá o bivolta, só vai ao cagadouro.

Gonçalo disse...

David Duarte,

Se cada sócio só tiver um voto independentemente do tempo de filiação, basta que alguém compre os kits de sócio suficientes para assegurar a vitória. É preciso uns milhões para o fazer, mas não é impossível.

Essa é uma das razões pelas quais não concordo com o sistema "1 sócio 1 voto". E se alguma vez acontecer tem de ser com condições muito rígidas.

B Cool disse...

@bivolta, senão sabes que era presidente do Alverca e foi instrumental nas idas de jogadores para o Porto, então informa-te pois isso são factos, não opiniões.

Quando falaste do lamaçal, pensei que falasses do JVA, pois normalmente é esse o papão que os apoiantes do LFV apontam, o que te respondi, foi que nesses tempos, não foi ele que deu a cara, nem esteve nas AGs.

Sou a concluir que o lamaçal seria então a gestão do Vilarinho, do qual o LFV fez parte nos últimos 2 anos como director desportivo, sendo assim não percebo mesmo o argumento.

Porque quem restabeleceu a confiança junto da banca foi o Vilarinho e o grupo de empresários da Construção Civil que se chegaram à frente para construir o estádio e constituir a SAD. Se calhar, tu é que andas um pouco desfasado da realidade.

Não sei para que insistes com o Rangel, eu não fiz a defesa dele, nem o ataquei, o que eu fiz foi explicitar os pontos que gostaria de ver esclarecidos num programa para a Presidência do Benfica.

Quanto aos outros anti-LFV não sei de quem falas, mas e que tal falares um pouco das ideias que queres ver para o Benfica ou és daqueles que para ti está tudo bem desde que seja o LFV a presidente? Isso é que me parece muito curto.

Ricardo Dias disse...

No ponto 1 o B Cool pede que lhe garantam o respeito pela história e democracia do Benfica. No ponto 2 o B Cool pede uma alteração nos estatutos que desrespeita toda a história democrática do clube.

E depois aparecem todos a bater palmas a dizer que o texto é genial? Está tudo maluco?

David Duarte disse...

"No ponto 1 o B Cool pede que lhe garantam o respeito pela história e democracia do Benfica. No ponto 2 o B Cool pede uma alteração nos estatutos que desrespeita toda a história democrática do clube."

Oi??!!!???

Ricardo disse...

Não sei porquê mas aqui só aparecem gajos chamados Ricardo que são autênticos atrasados mentais.

Julgava que era só eu. Tenho alguma inveja, confesso.

David Duarte disse...

Gonçalo, a probabilidade disso acontecer é muito, mas mesmo muito pequena... provavelmente a mesma que a de alguém se chegar perto aos socios com mais anos e dar uma "prendinha" para votar num em vez de outro.

B Cool disse...

@ricardo Dias,
qual é a história democrática do clube ? as casas terem 50 votos e as filiais e delegações 20 ? Os sócios com mais de 25 anos terem 50 votos ? é que se fores à história democrática do clube isso foi algo que nunca aconteceu, à excepção da última revisão estatutária que foi aprovada por menos de 0,1% dos sócios do clube. Ou de as reprovações de contas não terem consequências ? Se calhar é das revisões estatutárias só poderem acontecer 6 anos depois da aprovação dos estatutos ou de haver um vaccatio legis de 2 anos ?mas tens o direito à tua opinião. Inclusivamente, apesar de os estatutos terem sido aprovados por uma imensa minoria, não deixa de ter sido um acto democrático perfeitamente legítimo e penalizo-me por não ter podido estar presente para votar contra, o que é normal devido a ter sido a uma 5.ª à noite e viver longe de Lisboa. Mas, também o hitler foi eleito democraticamente e o programa dele aceite pela maioria dos alemães. As coisas não são comparáveis, agora invocar que 1 homem 1 voto é anti-democrático é a primeira vez que oiço falar.

David Duarte disse...

Ricardo Dias, explica là em quê o ponto 2 reduz a democracia no Benfica? Agora fiquei mesmo curioso.

Em quê fazer com que cada socio equivale a um voto seja é antidemocratico. Aristrocatrico é haver uma elite que tenha mais votos, não? Explique-se, não compreendi.

Em quê fazer com que as Casas do Benfica cumpram a sua missão, representação do Benfica, repito Benfica, em vez de fazerem propaganda a dirigentes, repito, dirigentes, é antidemocratico? Compreendo esta ideia se o Ricardo Dias achar que existe um principio de identidade do tipo A=A entre o Vieira e o Benfica : é disso que se trata?

David Duarte disse...

"Aristrocatrico"????!!!!???? Hehehehe

Ricardo Dias disse...

Desde sempre os sócios antigos viram essa antiguidade plasmada no número de votos, não foi o Vieira que inventou isso. É essa a história democrática do clube e acho mto bem que assim seja. Já o fedelho tem catarro? 'One man one vote' não é para aqui chamado.

JC disse...

Excelente, B. Também eu tenho algumas reservas quanto ao ponto 2 e não sei bem se 1 sócio=1 voto é o caminho correcto. No entanto, parece-me indiscutível a necessidade de um ajuste que diminua o fosso enorme que há entre o poder de voto dos sócios.

bivolta disse...

B cool, chega de demagogia.

Quem aprovou os estatutos e onde?

Quem chumbou o ReC e onde?


Ideias para o Benfica? Não sou candidato, nem faço parte da lista. E quando as tiver, sei ond as apresentar, não dou bitaites para armar ao fino, nem digo que não faço campanha fazendo... e desde há muito. E se só tens essa duzia de questões mal alinhavadas és muito fraco... pois constam de qualquer cartilha anti-benfica. Até o "filho do Pinto da Costa" as conhece aquele que gosta de aparecer nas tvs.

B Cool disse...

@bivolta
últimas respostas pois depois desses comentários não mereces que perca mais tempo contigo

às duas primeiras questões os sócios que estiveram presentes na AGs que representam um ínfima minoria da realidade, se isso te satisfaz, que nem 1% dos sócios decida sobre o futuro do clube, lamento mas a mim não e devria ser algo que o clube deveria repensar por forma a não se repetirem tão baixas taxas de participação.

Se achas que os estatutos estão bem, é contigo, eu acho que eles são atentatórios da democracia embora tenham sido democraticamente aprovados, senão percebeste o exemplo hitler, lamento.

Senão tens ideias, ou as que tens não queres partilhar no nosso espaço, o que fazes aqui a comentar ? Podes pegar nessa tua atitude e ir para o Colombo, que daqui não levas mais nada!!!

João Tomaz disse...

Todas boas questões!

Uma pequena nota para as "democracias"...

Sou contra a discrepância do números de votos, preferiria mais escalões ou diferenças menores entre escalões.

Esta questão do número de votos não tem a ver com dimensão do benfiquismo. É antes uma forma de tentar garantir que os sócios mais antigos tenham mais peso nas decisões mais importantes do clube.

É comum referir-se que este condicionamento é anti-democrático e atentatório dos valores tradicionais de democracia no SLB... Mas sempre foi assim. Não é uma novidade destes estatutos, dos anteriores ou dos anteriores aos anteriores. É assim desde os anos 20 em que a antiguidade começou a ser valorizada.

De qualquer das formas, a última assembleia, também realizada a uma 5ª feira à noite, foi demonstrativa que os 50 votos não são garantia para uma direcção (por não serem suficientes ou serem desalinhados). E aqui está, no autor do texto, um exemplo de que há pelo menos um sócio com 50 votos que não votará no LFV...

A "democracia" que se fala no SLB - no "verdadeiro Benfica" como tanto gostam de apregoar - sempre esteve relacionada com a total ausência de vínculos políticos do clube ou da importância nula que se atribuía à ideologia política ou credo religioso de um sócio.

Ser democrático no SLB sempre foi respeitar os sócios de várias formas, incluindo a valorização da sua antiguidade.