terça-feira, 22 de maio de 2012

É destes que queremos no Benfica

Foi há 3 anos, num fórum económico, que o António desabafou assim:

«A tragédia benfiquista 

21/05/09 00:03 | António Gomes Mota

Sou sócio há mais de 35 anos do Benfica e a minha mulher e as minhas duas filhas desde o dia em que nasceram.

Há, portanto, neste tema uma carga emocional familiar que dificulta o distanciamento e a objectividade. Ainda assim, enquanto professor de gestão, irei tentar olhar o meu clube como um caso que nos possa ensinar alguma coisa.

Creio que a métrica de valor da indústria do futebol é relativamente simples: as receitas directamente derivadas do espectáculo (bilheteira, televisão), as derivadas da marca ("sponsorização", ‘merchandising') e da valorização dos activos (jogadores). Todas elas, em maior ou menor grau dependem da ‘performance' da equipa de futebol e em dois planos: o conjuntural (época em curso), que afecta a bilheteira e a maior ou menor valorização dos activos e o estrutural (conjunto de ‘performances' ao longo dos anos) que afecta os restantes items e que no longo prazo cria as condições para o sucesso empresarial. Retenhamos o segundo plano, já que o da conjuntura dispensa adjectivos e apenas suscita dor e tristeza. Desde que a actual gestão tomou conta do clube o panorama é aterrador. Deserto de títulos e apenas pontuais sinais de se lá chegar (no campo dos resultados e não das intenções).

A gestão do clube, quando iniciou funções, tinha pela frente a mais desafiante das situações empresariais: concretizar um ‘turnaround' a uma "empresa" quase falida, mas com capacidade de ter sucesso na sua indústria. E trabalhou bem: ofereceu credibilidade aos credores e demais ‘stakeholders', negociou passivos, animou e desenvolveu novas canais de receitas, racionalizou custos, profissionalizou mais o negócio. Até foi capaz de construir um novo palco. Isto é, fez tudo que era possível fazer independentemente da melhoria da sua posição competitiva na indústria. Mas para que o ‘turnaround' tenha sucesso, há essa segunda fase, a da ‘performance' no seu negócio, ou seja, ganhar mais vezes. E aí a gestão falhou redondamente. Não houve competência para responder a esta segunda parte do desafio. E quando assim é, nas empresas acontece uma de duas coisas: a gestão dignamente reconhece e dá lugar a outra ou, menos dignamente, apenas os accionistas o reconhece e substituem-na em conformidade. Infelizmente, no Benfica não parece ir acontecer nem uma coisa nem outra. Mas temos uma consolação: está prestes a iniciar-se o campeonato em que já alcançámos o penta, o campeonato de verão: durante 3 meses vamos vencer o número de primeiras páginas, com os inúmeros treinadores e jogadores que estão para vir e que já não vêm. Pena é que essas páginas não sejam a principal fonte de valorização do negócio: se assim fosse já nem precisaríamos de entrar em campo em Agosto.

António Gomes Mota, Professor na ISCTE Business School»

Foi escrito há 3 anos, mas podia ter sido escrito há 3 minutos. Assim, sem mais uma vírgula nem menos um ponto. Até quando?

21 comentários:

Andrezini disse...

Um grande senhor e um grande professor, gostava de saber a opinião dele hoje em dia mas não deve variar muito deste texto.

moleculasdeamor disse...

Efectivamente podemos dizer que a situação de então para cá se agravou...

Urge uma solução com uma direção capaz (apaixonada pelo clube), com ideias inovadoras, com uma (ou várias) estratégia(s) de solução para o problema da arbitragem... com um treinador de legislatura (que pena eu tenho que JJ se tenha tornado nesta "coisa estranha" ) que seja apaixonado pelo jogo, que respeite a instituição e que se paute por um modelo de jogo agressivo, mas equilibrado - e que norteie todas as suas decisões no binómio valorização de atletas + sucesso desportivo...
Valorizar atletas da formação é uma atitude inteligente porque o preço final do atleta é muitíssimo mais baixo e permite uma enorme adesão emocional do atleta ao jogo e á instituição derivado do seu "amor" ao clube - algo que se ganha na meninice!
Urge a constituição de um verdadeiro laboratório de psicologia desportiva.
Uma política capaz na valorização de todos os atletas - a equipa B tem aqui um papel FUNDAMENTAL!
O modelo de jogo deve ser claro - com variantes conhecidas...

Quanto à Olivedesportos - parece-me que uma estratégia de secar o polvo é um golpe ESPECTACULAR com dividendos brutais a médio prazo!

Agora este monstro de 400 milhões que andaram a alimentar é um merda do caralho... um espinho cravado na coluna quase a tocar na medula!

Anónimo disse...

Tudo o que está escrito, apesar de muito sintetizado, está correcto. O que eu gostaria era ver este senhor professor deixar a sua teoria e ir para a prática, isto é,gerir o benfica. Não conheço nenhum caso em que um professor teve sucesso quando posto na prática.

Mr. Shankly disse...

Indiscutível, tudo o que está escrito. Ou não fosse um professor do ISCTE ;)

Mentecapto da Silva disse...

Sou de "letras" mas ester artigo, para mim, nem sequer versa sobre a enfadonha "economia", é "música" para os meus ouvidos!!

Há alguém que duvide da realidade, nua e crua, aqui espelhada?
Vieira é benfiquista? Não! Se fosse já tinha colocado o lugar à disposição. Então, e na esteira do artigo, porque não é a sad a dar-lhe uma palmadinha nas costas e apontar-lhe a saída? Porque é (muito) do dinheiro dele que está lá "enterrado".
E parem, por favor, com o argumento da "credibilidade", do "bom nome na banca", que nos dá capacidade de obtermos financiamento. Para quem não saiba digo que a nossa sad não tem notação de risco. Se estivesse sujeita a um "rating", qualquer gerente bancário seria imediatamente despedido se nos tomasse como "bom parceiro de negócios"...
Como é possível emitir obrigações e pagar uma taxa de juro superior à oferecida por todas as instituições bancárias?!E cumprir com as obrigações das obrigações com nova emissão de obrigações?!
Preocupem-se em ser competentes NO FUTEBOL, NO FUTEBOL CARALHO, E GANHEM, GANHEM DUAS, TRÊS, QUATRO VEZES SEGUIDAS, e aí verão o "sistema" desaparecer, é inevitável.

P.S. Quero este Gomes Mota, por onde é que ele anda?!
"Força, força companheiro Mota, nós por aqui abominamos a derrota".

Andrezini disse...

Nem mais Mr. Shankly, ISCTE ISCTE c**as abertas , car***os em pé!hehe

Abraço

P.S. Vou tentar contactar o professor Gomes Mota, gostava de saber a sua opinião relativa à ultima informação trimestral

John Billy #32 disse...

http://www.fcbarcelonanoticias.com/2011/09/barca-informe-economico-septiembre-2011.html

Fica mais um link
Aqui acha-se que 364 milhões de euros é demasiado dinheiro em dívida. E falamos de um FC Barcelona em que o valor da marca não tem qualquer comparação possível a do Benfica.

Mr. Shankly disse...

Hehe, andrezini: há quanto tempo não ouvia isso.

Mentecapto, decide-te: o Gomes Mota é o maior ou não? É que dizes que sim, mas depois dizes que a credibilidade é uma treta (e o Gomes Mota diz o contrário).

"Como é possível emitir obrigações e pagar uma taxa de juro superior à oferecida por todas as instituições bancárias?!"
Não só é possível como não podia ser ao contrário: se a taxa de juro não fosse superior o público deixava o dinheiro no banco que tem menos risco. Para atrair dinheiro tem que se pagar um prémio de risco. Isto fazemos nós, a SONAE, a Jerónimo Martins, a Amorim, todos.

Gestores bancários despedidos por emprestarem dinheiro ao Benfica? Sabes quanto é que já nos emprestaram? Já deviam ter ido uns quantos para a rua.

Mais uma coisa: a SAD não pode por o Vieira na rua. O Vieira é presidente do Clube, que é accionista maioritário da SAD.

moleculasdeamor disse...

É destes cansaços que falo... que sinto quando penso em LFV:
http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=332690

Sinceramente parece-me que quer Yartey, quer Urreta podem perfeitamente fazer as alas porque são rápidos e cruzam bem... mas o que está em causa é um modus operandi que se eterniza, que é humilhante...

Enfim... tenhamos paciência!
[já é pouquinha]

Eh pá que gastem o dinheiro no Salvio... temos lá massa do Dani no Atlético!

Bicadas disse...

Boas,

Peço desculpa mas há aqui algum abuso na interpretação das palavras do grande AGM (que não é apenas professor, é o Presidente da ISCTE - Business School, e não é dos "quem não sabe fazer ensina", que tem mais que provas dadas).

O grande AGM aponta méritos inequívocos na gestão do clube, em tudo o que não respeita à envolvente desportiva, criticando depois essa mesma envolvente desportiva. E atrevo-me a dizer que, no aspecto financeiro, as suas críticas seriam hoje ainda mais favoráveis... e no aspecto desportivo seriam ainda mais desfavoráveis...

Mas vamos lá, o AGM tem competências na gestão, sim, mas é uma reconhecida sumidade nas finanças. Não se lhe conhecem grandes cometimentos na gestão desportiva.

Então, a opinião relevante do AGM é favorável ou desfavorável à actual direcção?

E será mais ou menos relevante que o "Milagre Financeiro". AGM falou... para mim chega-me ;-)

Sejamos sérios.

Cumprimentos

P.S. apesar do que escrevi (nomeadamente no que respeita à gestão desportiva), não teria dúvidas em apoiar uma candidatura da AGM à presidência do Benfica. Mas também sou respeito, apoiaria a sua candidatura à presidência do quer que seja...

Mentecapto da Silva disse...

Shankly, até posso acreditar que tenhas andado no ISCTE mas, seguramente, não foste aluno do Gomes Mota, "O Grande".
1- A credibilidade é importante, o fair-play é que é uma treta. Mas não é só de credibilidade que vive um clube. Devagar, para que percebas o mister Gomes Mota: a concretização do "turnaround' a uma "empresa" quase falida. Primeira fase, conseguida através da "credibilidade aos credores"; Segunda fase,"a da ‘performance' no seu negócio, ou seja, ganhar mais vezes"...FALHOU...
O que nos transporta para o despedimento dos gestores bancários.
2- Não chega a credibilidade que é ditada pela capacidade de terceiros (bancos) nos emprestarem dinheiro. O que é que tem a ver a quantidade de dinheiro que já nos emprestaram?! Só te digo (e repito) que a nossa sad não dispõe de notação de risco, se tivesse seria muito difícil não despedir uns quantos gestores. Diga-se, também, que falamos de bancos colocados, eles próprios na categoria de "lixo" por algumas agências de notação financeira... Percebeste agora?

"Não só é possível como não podia ser ao contrário".
É este o problema dos gajos que não são de letras. Tudo o que dizes a este propósito está correcto, o incorrecto é não perceberes que a crítica estava direccionada precisamente no facto de não estarmos vocacionados para este tipo de "produtos", o nosso core business é O FUTEBOL.

"Mais uma coisa: a SAD não pode por o Vieira na rua. O Vieira é presidente do Clube, que é accionista maioritário da SAD".

Malandro, foste a esta aula...O que nos diz Gomes Mota "O Grande" a este propósito?
"Infelizmente, no Benfica não parece ir acontecer nem uma coisa nem outra".

Constantino disse...

Fora do contexto do texto, mas dentro do contexto de comentarios e textos que se somam por aí: fodasse, o cabrão do Yartey deve ser um Maradona do caralho. Não há dia que eu não abra um blog e não me apareça la o nome dele... ou não estivesse ele há 2 anos a jogar em espanha... ou é em italia? França? Ah é no ultra competitivo campeonato suiço.

A maior parte da malta viu o Yartey fazer meia duzia de jogos nos juniores, outra meia duzia no beira mar, onde não era titular e é capaz de ter visto mais meia duzia de jogos na suiça... mas mesmo assim todos os anos vem o nome do puto à baila. Do que eu vi, só digo: tem que ter evoluido muito, mas mesmo muito para ter lugar no SLB.

PS - e nem me peçam opinião acerca desse mito urbano que é "a grande epoca que esta a fazer Kardec". 12 golos desde que há 1 ano o emprestamos; 7 golos em 20 jogos do campeonato paulista a jogar contra equipas de 2ª e 3ª divisão... numa equipa com neymar e ganso? É isto uma grande época? Nem me falem do regresso deste rapaz ao SLB.

Abraços.

Mr. Shankly disse...

Mentecapto, entre asneiras e insultos não se aproveita nada do teu comentário. Até à próxima.

G. disse...

Há uma nova página de fãs portugueses do Pablo Aimar no Facebook.

Quem puder que deixe lá o seu like e passe a palavra. O nosso génio merece!

Fica aqui o link.

https://www.facebook.com/pablo10aimar

Mentecapto da Silva disse...

Shankly, não haverá próxima vez. Dedica-te aos estudos, pressinto que há por aí um curso inacabado.

Eduardo Rodrigues disse...

Grande Post.

Anónimo disse...

Já arranjaste o vosso "führer"? Auf Wiedersehen liebe Führer!!

Mr. Shankly disse...

Estás enganado, pá. Lamento que não consigas entender, mas o problema não é meu.
Tu para além de insultar não fazes mais nada. Podes ter a certeza que não haverá próxima vez.

Catenaccio disse...

Engraçado terem ido buscar este texto, passado 3 anos. Foram aqui ao meu "cantinho"? http://catenacc10.blogspot.pt/2009/05/tragedia-benfiquista.html

Conheço o Prof. Gomes Mota pessoalmente, quando estive a tirar um Mestrado no INDEG Business School, curiosamente por essa altura: ele não foi meu professor, mas era o presidente (actualmente desconheço se ainda mantém funções no lugar) e, recordo-me que a sua reputação era inquestionável.

O grave disto tudo é que o texto data de 2009 e serve perfeitamente a conjuntura que se vive em 2012. Passados 3 anos, a incapacidade desportiva mantém-se, os problemas e as críticas são as mesmas. Avançou-se zero.

Infelizmente, no Benfica actual, este tipo de pessoas são desprezadas e menorizadas, vá-se lá perceber porquê. Deve ser da mesma forma que um país teve um 1.º ministro que tirou uma licenciatura a um domingo. Portanto, há sempre algo a apontar ou a desdizer, mesmo que a pessoa em questão tenha um valor profissional a toda a prova. Assim caminhamos, alegremente...

JC disse...

Por acaso não calhou, Catenaccio. Numa pesquisa que até nem tinha muito a ver com o assunto, acabei por dar de caras com a transcrição deste artigo para um fórum de economia. Impressionou-me a forma como se mantém tão actual passados 3 anos.

Abraço

Catenaccio disse...

Sem dúvida. E, isso é que é assustador. Em 2012 voltámos à casa de partida (2009).