sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Insubordinação

«Ou nós vamos melhorar a miséria, ou nós vamos resolver o mundo, a nossa vida e a nossa esperança. Portanto, acho que não há outro caminho que não seja a insubordinação. Não digo insubordinação como se ela, por si mesmo, trouxesse as respostas automaticamente. Mas tem que haver uma insubordinação, primeiro, em termos do espírito, em termos daquilo que nós temos que não aceitar deste mundo e da explicação que se dá do mundo»

Mia Couto

12 comentários:

David Duarte disse...

Hobbes, Leviathan "os sujeitos podem revoltar-se quando os seus dirigentes são incapazes de cumprir com os objectivos que legitimam o poder. Neste caso a rebelião é um direito"

"um pequeno grupo de individuos conscientes e motivados pode mudar o mundo. Alias, o mundo sempre mudou desta maneira"

JotaPê disse...

Pegando também um bocadinho no post anterior, não me parece que seja tempo de passar a bola a outro.

Senão vejamos: resgatámos o clube das mãos do bandido do Vale e Azevedo, dotámos a instituição de tudo e mais alguma coisa ao nível dos maiores do mundo, temos um passivo gigantesco mas um activo igualmente excelente, um estádio ao nível dos melhores, uma TV de 5 estrelas e a melhor equipa dos últimos 30 anos.

De que é que se queixam então? Do futebol? Calma! Um dia havemos de começar a ganhar. Não é fácil limpar 30 anos de corrupção e compadrios, que oferecem invariavelmente os títulos aos mesmos, inclusive os títulos europeus. E nós já lá estivemos quase! Este ano não nos escapa, ainda para mais em nossa casa.

E quanto ao modelo de gestão? Espectacular!

Nas vitórias (quase nulas, mas em breve muitas), a pirâmide estrutural é a que bem conhecemos no mundo laboral: Vieira no topo e líder e, quase logo ao lado, o guru dos domínios financeiros, DSO. Jesus vem logo a seguir, abaixo, mas pouco protagonista.

Nas derrotas, dá-se uma estranha mutação, mas invulgarmente inovadora no mundo das organizações e só ao nível dos maiores: a inversão da pirâmide. DSO eclipsa-se, Jesus sobe ao topo da estrutura e Vieira passa logo para o patamar imediatamente inferior.

As responsabilidades transferem-se. O treinador passa a assumir toda a organização e os líderes transformam-se em subordinados.

Não é verdadeiramente maravilhoso? Posto isto, para quê insubordinação? Para desestabilizar, já nos bastam os Proenças, os adeptos ruidosos como os deste blog e os pasquins que estão sempre contra o Benfica. Temos de ter paz no nosso seio. Aprovemos as (estupidamente depauperadas) contas, reconduzamos esta gente da liderança, paguemos os ingressos forte e feio e apoiemos o clube!

Chega de criar divisões! Ah, e não esquecer o grito da ordem, essa coisa tão, digamos, mística: carrega Benfica!

moleculasdeamor disse...

eh pá realmente aqui e agora faz-me sentido!... eu navego sempre entre a revolução e as florzinhas... agora é revolução isto é uma cena marada... o Benfica quero dizer!

Carlos Atalaia disse...

Esse post é uma possível resposta à grande questão:

Arranjar uma alternativa primeiro e depois criar as condições para a mudança ou primeiro criar as condições para a mudança e depois procurar uma figura credível.

Anónimo disse...

JotaPê, quantos anos o senhor tem ? ou é muito ingénuo, ou então não é benfiquista (quanto mais vieirista). É que afirmar que o Benfica hoje em dia é espectacular só porque tem pavilhões, TV, estádio e centro de estágio, meu deus, é dos maiores atentados que se podem fazer ao Benfiquismo !
Ah, e agora já percebi que falência técnica é um acto de gestão espectacular. BRAVO !!!

PP disse...

Ricardo e Carlos Atalaia,

Concordo em parte com o texto, pois fala na necessidade de revirar pedras, sendo insubordinado.

Mas, atenção! E aqui socorro-me do comentário do Carlos, pois levanta algo que vinha aqui também referir: é preciso ser uma insubordinação organizada e planeada.

Senão corre-se o risco de quem seja "insubordinado", seja reconhecido na sua forma prejurativa e até como possível arma dos actual poder encarnado. Basta ver a forma como eles reagem face a quem protesta.

VC disse...

O JotaPê é cego, O JotaPê é cego,O JotaPê é cego,O JotaPê é cego,O JotaPê é cego,O JotaPê é cego,O JotaPê é cego,...

luis disse...

@ JotaPê está a brincar, é um Benfiquista com humor.

O Jorge Mário, da terra do deus Maradona, discípulo Aimar,do Santo Saviola,do orelhas Di...

- quantos argentinos envergaram a camisola do Benfica durante o caminho do 33º ???

Voltando ao Bergoglio, este simples Homem,para o Povo deu 12 lições de vida. Entre as quais surge esta maravilha,

" Mantenha o sentido de humor"

Este Senhor também confessou:

"aprendi a Reivindicar com a minha Avó."

Vivas ao Benfica de Todos os Tempos!!... «sem miar por favor».

Anónimo disse...

Caro Ricardo,

Pelos comentários, de gente que nem entende que o Jotapê postou ironicamente, percebes que é difícil ser-se insubordinado apenas por ser insubordinado.

Onde está a alternativa ao Vieira? O problema maior está aqui: ninguém, dos bons, não falo de Rangel ou Carvalho, ninguém avança, ninguém emerge. Porquê? Dívida e teia promíscua e de dependências mútuas com a banca. O cancro é esse. Esqueçam as AG, o JJ, o Rui, os Proenças. Aquilo é uma máquina de fazer dinheiro para a banca. Foi ela que suportou todo o betão, o estádio, o Seixal, a TV, o museu, os camiões de jogadores. Os juros que daí extrai são o verdadeiro travão às alternativas que precisamos com urgência.

Se não atacares por aí, tudo isto será fogo de artificio, espampanante, por vezes belo, mas inconsequente e e instantaneamente morto.

Abraço
Pedro B.

Anónimo disse...

"O Benfica é um clube muito grande e democrático; as alternativas válidas são muitas e variadas na forma de estar e pensar o SLB. O que acontece é que essas alternativas válidas e crediveis por uma ou outra razão nunca acharam por bem avançar e algumas que chegaram ameaçar que avançavam pelos vistos reviram a sua posição e juntaram-se ao projecto liderado por LFV."


luis disse...

@ Pedro B. certinho e direitinho, como manda uma reflexão ao Benfica deste tempo.
O teu remate à baliza ultrapassou a teia instalada no Verdadeiro caminho da nossa Instituição.Vencer!!

Os juros jogam a favor deles...

O tempo corre a favor para esses compromissos assumidos com os financiadores de várias cores.

...em meados de 2003 , comecei a escutar respostas:

-Agora temos crédito. Pagamos a horas.
-"Quem tem unhas é que toca a guitarra".
-O azedo isto, o azedo aquilo.

No meio de tanto pó, após o naufrágio azedo de 2000, ao seguir aquele caos, tudo era aceitável:

"Temos a equipe maravilha", foi só o primeiro slogan para vender a Marca Benfica... caiu um treinador, dois , três , quatro...
Jesus... ou faz um milagre ou cai.
O discurso mudou para,

"Temos a melhor equipe dos últimos 30 anos".

-"130 milhões..."

Em conclusão: a mensagem é que o 33º deu-lhe tudo (quase...). O 33º dá sempre, o 33º fez as obras ...Bem o 33º aqui pró imbecil do luis, já na pré época antecipou os 2 possíveis cenários:

1º -JJ faz o milagre de ganhar. O 33º é que manda. O nº7 ganha, o aldave ganha, a banca ganha. O 33º ganha a aposta e passa a ser um mago nos assuntos futebolísticos.

2ª hipótese- o caminho atrapalha o Jesus. Este cai quando for insustentável, ao peso de vender a Marca. Abre-se novo ciclo. O 33º até deixa escolherem o novo profissional. Ganha tempo, roda nova roleta desportiva... e teremos a reeleição à porta com muitos interessados em estarem colados a esta Marca com mais de 6 milhões de compradores.

Por causa das hipóteses, a pré época foi o que foi, a confiança é a que é. Os juros é que estão lá e nunca fugiram.

Vivas ao Benfica de Todos os Tempos

O Bandido disse...

"O que acontece é que essas alternativas válidas e crediveis por uma ou outra razão nunca acharam por bem avançar e algumas que chegaram ameaçar que avançavam pelos vistos reviram a sua posição e juntaram-se ao projecto liderado por LFV.", mas qual Projecto? Não será antes, tacho?